25.3 C
Rio Branco
15 maio 2022 8:30 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Após 4 paradas cardiorrespiratórias, padrasto de Eliza Samudio morre no hospital

Ele estava internado em estado vegetativo e, segundo os médicos, o quadro era irreversível

POR CAMPO GRANDE NEWS

O tapeceiro Hernane Silva de Moura, de 52 anos, padrasto de Eliza Samudio, assassinada em fevereiro de 2010 pelo ex-goleiro Bruno, morreu nesta quinta-feira (21) na Santa Casa de Campo Grande. Ele ficou internado por 52 dias, chegou a ficar em estado vegetativo e, segundo os médicos, o quadro era irreversível. A causa da morte não foi divulgada pelo hospital.

Passando por dificuldades por causa da situação do marido, Sônia Fátima Marcelo da Silva Moura, mãe de Eliza, que cuida do neto de 12 anos, filho de Bruno, já havia pedido ajuda. A madrinha do menino criou uma vaquinha online para arrecadar dinheiro. O avô do adolescente era o único provedor da casa.

Conforme Sônia, o pai do menino nunca pagou pensão para o filho e o marido trabalhava como autônomo e arcava com os custos da família. No dia 13 deste mês, Sônia disse à reportagem que Hernane sofreu quatro paradas cardiorrespiratórias e, desde então, seguia internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em estado vegetativo.

“Venho pedir ajuda dos amigos, pois até conseguir a documentação para quem sabe conseguir a aposentadoria dele, necessito de ajuda financeira para os gastos com todas as despesas com aluguel, comida, energia, remédio até conseguir novamente sobreviver a esta tragédia”. No dia seguinte, após a divulgação da vaquinha, Sônia já havia arrecadado mais de R$ 20 mil.

Nas redes sociais, Sônia recebeu mensagens de apoio e carinho após a morte do marido. “O nosso carinho e respeito a Sônia, mãe da Eliza Samudio, que vive um momento triste com a morte do seu marido, Hernani”, escreveu Claudio Santos.

“Hoje o nosso coração acordou triste, mas aliviado em saber que Deus agora o acolhe eternamente em seus braços. Foi pai, esposo e um excelente avô. Deixa saudades e ensinamentos, lutou pela vida”, postou outra conhecida da família, Renata Gouvea.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.