22.3 C
Rio Branco
12 maio 2022 9:44 am

Às vésperas de mais uma luta de boxe, Anderson Silva admite: “A luta é algo que está se afastando”

Lenda do MMA enfrenta Bruno Caveira em exibição de boxe neste sábado, com transmissão do Combate, em evento com Floyd Mayweather: "É uma honra lutar no mesmo card que ele"

POR COMBATE, GE

Última atualização em 12/05/2022 09:44

Aos 47 anos, Anderson Silva estará em ação neste próximo sábado, dia 14, pela terceira vez num espaço de menos de um ano. Sim, tem sido mais recorrente vê-lo lutar boxe do que foi quando esteve no UFC. Mas quem ainda fica ansioso para ver o Spider em ação precisa aproveitar toda e qualquer apresentação do lutador brasileiro, que neste sábado estará no heliponto do icônico hotel Burj Al Arab, em Dubai, para enfrentar o compatriota Bruno Caveira, numa luta exibição de boxe de até oito rounds de três minutos cada, com limite de peso de 88kg.

O Global Titans Fighting 3 terá transmissão exclusiva do Combate a partir de 15h (horário de Brasília), num card que terá na luta principal a luta entre Floyd Mayweather x Don Moore. Anderson Silva, em conversa exclusiva com o Combate via Zoom, admite que tem vivido um momento especial ao poder subir no ringue, mas lembra que essas aparições serão cada vez mais raras.

– Todo atleta de alto nível se cobra, mas estou num novo momento. A luta ainda é uma coisa que amo muito, que gosto muito, é algo que enquanto eu tiver ainda condições de fazer, enquanto Deus continuar me abençoando com saúde e capacidade técnica para continuar treinando e podendo lutar em alto nível, vou estar fazendo. Mas minha vida já tomou outros rumos. Tenho que cuidar das minhas empresas, dos meus negócios, tanto no Brasil como em Los Angeles. Aqui (em Dubai) a gente está abrindo um negócio também. A luta é algo que está se afastando, está ficando pra trás – contou o ex-campeão peso-médio (até 83,9kg) do UFC.

Numa carreira recheada de recordes no Ultimate, onde ficou por quase 15 anos, Anderson não conseguiu realizar o desejo de enfrentar Roy Jones Jr. no boxe. Dana White e a organização jamais o liberaram. O brasileiro, no entanto, garante que não convive com frustrações, mas também não quer pensar em UFC mais.

– Treino boxe há muito tempo, comecei a treinar há muitos anos no Corinthians. Mas acho que tudo que acontece na vida da gente tem que acontecer na hora certa. Deus sabe de todas as coisas, e ele coloca tudo no lugar certo e na hora certa (…). Não, absolutamente nada (de frustração). Na verdade, na época em que sugeri essa luta de boxe com Roy Jones era nada mais, nada menos, o que aconteceu depois com Conor McGregor e Floyd Mayweather. A minha visão já vinha lá de trás, eu já tinha dado essa deixa lá atrás, mas não aconteceu, enfim… O UFC para mim é passado.

Anderson Silva venceu as duas lutas que fez no boxe depois de deixar o Ultimate após a derrota para Uriah Hall em outubro de 2020. Primeiro ele venceu Julio César Chavez Jr., 36 anos, numa decisão dividida em evento no México, em junho de 2021. Em setembro, na Flórida, enfrentou o também ex-UFC Tito Ortiz e nocauteou o americano que tem os mesmos 47 anos de Anderson.

Em Dubai, Anderson tem treinador na Team Nogueira, onde está em casa, já que a academia é dos irmãos Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro. E foi no Team Nogueira também, mas no Rio de Janeiro, que Anderson conheceu e treinou junto com o adversário deste sábado, que é lutador de MMA e atual campeão do UAE Warriors, nos Emirados Árabes.

– O Bruno é um cara que tenho uma admiração muito grande. Já treinamos juntos na Team Nogueira sim durante alguns anos. É uma luta de exibição, mas vai ser uma luta legal tanto pra ele quanto pra mim, os dois já sabem como funciona, a gente já fez muitos sparrings juntos, já treinamos juntos muitas vezes, então, um conhece o jogo do outro. Acredito que será um grande espetáculo.

Anderson Silva vem de vitória por nocaute em luta com Tito Ortiz na Flórida — Foto: DOUGLAS P. DEFELICE / AFP
Anderson Silva vem de vitória por nocaute em luta com Tito Ortiz na Flórida — Foto: DOUGLAS P. DEFELICE / AFP

Depois que Anderson Silva e Bruno Caveira se enfrentarem será a vez de Floyd Mayweather x Don Moore. O brasileiro não economizou elogios ao americano que se aposentou em 2017 com um cartel de 50 vitórias e nenhuma derrota.

– Tem todos os outros e tem o Floyd Mayweather. O cara é ímpar no que ele conseguiu criar dentro do mundo do boxe. Tenho uma admiração pelo trabalho e por tudo que ele criou dentro desse esporte, por tudo que ele já fez pelo esporte. É uma honra lutar no mesmo card que ele. Acredito que são poucos atletas que conseguem fazer essa transição para outra modalidade e ter essa oportunidade (que estou tendo). Estar no mesmo card que Floyd Mayweather é incrível. Fazer a preliminar da luta do Floyd Mayweather é incrível!

Confira o card completo do evento:

Global Titans Fighting 3
14 de maio de 2022, em Dubai (EAU)
CARD COMPLETO:
Peso a ser anunciado – Floyd Mayweather x Don Moore (8 rounds de 3 minutos)
Até 88kg – Anderson Silva x Bruno “Caveira” Azeredo (8 rounds de 3 minutos)
Até 59kg – Delfine Parsoon x Maiva Hamadouche (10 rounds de 2 minutos)
Até 91kg – Badou Jack x Hany Atiyo (12 rounds de 3 minutos)

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 5.857 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.