18.3 C
Rio Branco
2 julho 2022 3:31 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Depois de avançar na parte política e montar chapa, Petecão dá start no plano de governo 

POR THIAGO CABRAL, DO CONTILNET

Plano de governo 

Aconteceu na noite desta sexta-feira (20), na ‘Tenda Amarela’, espaço do senador Sérgio Petecão (PSD), a discussão dos eixos temáticos para a elaboração de seu plano de governo participativo. “Hoje é um dia importante. Começamos a discutir as propostas para um Acre melhor, com mais oportunidades. Essa construção é coletiva, feita por várias mãos que querem transformar nosso Acre num lugar melhor para todos”, disse o senador. Momento importante.

Plano de governo 2 

Mesmo sendo obrigatório que seja apresentado no ato do registro de uma candidatura ao Executivo, não há, no entanto, obrigatoriedade que o plano de governo seja cumprido. A exigência da Justiça Eleitoral é puramente formal. Apenas faz parte dos trâmites burocráticos.

Plano de governo 3

Apesar disso, um plano de governo é um instrumento importantíssimo e deve ser elaborado com muita seriedade. É preciso ter um olhar técnico, para que se pense em propostas executáveis, ao mesmo tempo que é preciso um olhar humano, para inserir pontos que melhorem a vida das pessoas. Além disso, é ali onde o eleitor pode conhecer com profundidade os candidatos e fazer sua escolha. É como se fosse um manual de funcionamento do político.

Comunicação 

Uma comunicação política bem feita é algo que ajuda qualquer pré-candidato a decolar diante da opinião pública. Não que só o trabalho da comunicação garanta voto ou uma eleição tranquila, até porque ninguém faz nada sozinho. Mas que ajuda, ajuda. É mais fácil vender um peixe quando ele está vistoso e cheira bem.

Menção honrosa 

Por falar em comunicação política, quem deu uma salto de qualidade nos últimos tempos foi o pré-candidato a deputado estadual Tadeu Hassem (Republicanos). A comunicação que Hassem vem fazendo, sobretudo nas redes sociais, tá redondinha. Linguagem simples, assuntos relevantes para o eleitor e sem firulas. Aquele arroz com feijão temperado na medida certa.

Panos quentes 

A visita do governador Gladson Cameli (PP) à sede do PDT nesta sexta (20) parece ter colocado panos quentes no mal estar criado entre o o governador e a sigla nos últimos dias, devido a um suposto rompimento de pedetistas com o Governo para lançar uma candidatura própria ao Executivo estadual. Durante a visita, reinou o clima de paz e cordialidade.

Desenrola

O governador se sentiu tão à vontade na sede do PDT que usou até um boné do partido. Pé de valsa, mais uma vez se rendeu a uma daquelas dancinhas das redes sociais: “desenrola, bate, joga de ladinho”.

Ex-adversários 

Uma cena curiosa da vista de Gladson ao PDT foi vê-lo posar para fotos ao lado do delegado Emylson Farias, presidente estadual da legenda. É que na eleição passada, que consagrou Cameli como governador do Acre, Emylson era vice na chapa adversária, a de Marcus Alexandre (PT). As diferenças parece que ficaram para trás.

Moro 

Depois de uma quase candidatura à presidência da República pelo Podemos, o ex-juiz Sérgio Moro deu uma guinada para baixo na sua recém-estreada carreira política. Não se sabe se por imaturidade politica ou seja lá o que, trocou o Podemos pelo União Brasil, achando que poderia continuar com o sonho de pleitear a cadeira presidencial, agora com muito mais estrutura, mas deu com os burros n’água. No UB, logo que assinou a ficha de filiação foi escanteado, restando ao agora ex-presidenciável mudar de domicílio eleitoral, do PR para SP, e pleitear outra vaga.

Senado 

O que se cogitava para Moro era que, sem ter muito o que escolher, ele poderia ser lançado para disputar uma vaga de deputado federal e assim ajudar sua sigla com uma expressiva votação, podendo “arrastar” com ele outros candidatos. Hoje, o ex-ministro disse, em entrevista ao programa Morning News, da web rádio Insuperável, que é provável que seja candidato ao Senado por São Paulo. Ele também não descartou disputar outro cargo. O certo mesmo é que nada está certo para Moro.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.