28.3 C
Rio Branco
26 junho 2022 5:04 pm

Portugal identifica 5 casos de varíola dos macacos; Espanha tem 23 suspeitos

Europa monitora quaisquer possibilidades de surto da doença desde que o Reino Unido primeiro e encontrou mais seis desde então

POR FOLHA DE S. PAULO, UOL

Última atualização em 20/05/2022 11:11

Autoridades portuguesas disseram nesta quarta-feira (18) que identificaram cinco casos da rara infecção por varíola dos macacos, e os serviços de saúde da Espanha estão testando 23 casos em potencial depois que o Reino Unido colocou a Europa em alerta para o vírus.

Os cinco doentes portugueses, de 20 casos suspeitos no país, estão estáveis. São homens e todos vivem na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo as autoridades sanitárias portuguesas.

Autoridades de saúde europeias estão monitorando qualquer surto da doença desde que o Reino Unido relatou seu primeiro caso de varíola dos macacos em 7 de maio e encontrou mais seis no país desde então.

A Espanha emitiu um alerta no início da manhã dizendo que tinha oito casos suspeitos em teste. O número subiu para 23 casos no final da tarde, disseram as autoridades de saúde da região de Madri em um comunicado. Todos os casos permanecem não confirmados.

Varíola dos macacos é uma infecção viral rara semelhante à varíola humana, embora mais leve, registrada pela primeira vez na República Democrática do Congo na década de 1970. O número de casos na África Ocidental aumentou na última década.

Os sintomas incluem febre, dores de cabeça e erupções cutâneas que começam no rosto e se espalham para o resto do corpo.

Não é particularmente infecciosa entre as pessoas, disseram as autoridades de saúde espanholas, e a maioria das pessoas infectadas se recupera em algumas semanas, embora casos graves tenham sido relatados.

OMS BUSCA RESPOSTAS

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou na terça-feira (17) que quer esclarecer, com a ajuda do Reino Unido, os casos de varíola do macaco.

Com exceção do primeiro caso –o infectado tinha viajado recentemente para a Nigéria, na África Ocidental, onde a doença viral é endêmica–, os doentes foram infectados no Reino Unido, criando receios de transmissão comunitária.

Diretora da OMS, Maria Van Kerkhove afirmou que trabalha “muito estreitamente” com o Centro Europeu de Controle de Doenças e com a agência de segurança sanitária britânica para “avaliar (…) a fonte da infecção” e realizar um “exercício de acompanhamento”.

Por sua vez, o UKHSA (agência britânica de segurança sanitária) está tentando encontrar uma ligação entre os quatro casos identificados mais recentemente, que parecem ter sido infectados em Londres.

 

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 6.087 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.