23.3 C
Rio Branco
28 junho 2022 9:43 pm

Após alta do diesel, caminhoneiros cobram Bolsonaro e falam em greve

Estatal anunciou, nesta sexta-feira, reajuste de 14,2% no preço do diesel vendido às distribuidoras; categoria reage: "Chilique não resolve"

POR METRÓPOLES

Última atualização em 17/06/2022 16:47

Após a Petrobras anunciar novo reajuste de 14,2% no preço do diesel, caminhoneiros cobram uma ação do presidente Jair Bolsonaro (PL) e voltam a falar em greve.

Em nota, Wallace Landim, o Chorão, um dos líderes da greve dos caminhoneiros em 2018, apontou que a “grande falha e incompetência” do governo Bolsonaro foi não ter reestruturado a estatal e suas operações no início do mandato.

“O governo se acomodou e, por ironia do destino, o ministro apelidado de posto Ipiranga, que deveria resolver esse problema, é o grande culpado deste caos. Hoje chegamos nesse ponto crítico, sendo que ainda temos sérios riscos de falta de diesel. Bolsonaro precisa entender que ficar dando ‘chilique’ não vai resolver o problema”, escreveu Chorão.

“A verdade é que, de uma forma ou de outra, mantendo-se essa política cruel de preços da Petrobras, o país vai parar novamente. Se não for por greve, será pelo fato de se pagar para trabalhar. A greve, no entanto, é o mais provável”, prosseguiu.

Antes do anúncio de novo aumento nos preços da gasolina e do diesel, Bolsonaro escreveu, na manhã desta sexta-feira (17/6), que a Petrobras pode “mergulhar o Brasil num caos”. E citou a greve dos caminhoneiros em 2018, que provocou alta nos preços e desabastecimento.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 6.087 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.