20.3 C
Rio Branco
29 junho 2022 1:51 am

Doze anos do caso Eliza Samudio: veja a cronologia do crime que marcou o país

Apesar de o corpo não ter sido encontrado, data da morte consta na certidão de óbito; condenado, goleiro Bruno cumpre pena em casa

POR R7

Última atualização em 10/06/2022 18:25

Um goleiro no auge da carreira, uma gravidez indesejada, um corpo desaparecido e bastidores com doses de mistério. Essa é a trama de um dos maiores crimes ocorridos em Minas Gerais, que chocou todo o país. Há 12 anos, Eliza Samudio foi assassinada na região metropolitana de Belo Horizonte. Apesar de seu corpo nunca ter sido encontrado, essa é a data que consta na certidão de óbito da ex-modelo.

O enredo criminoso envolvendo o goleiro Bruno Fernandes e sua ex-amante começou no dia 4 de junho. Foi nesse dia, segundo o Ministério Público de Minas Gerais, que Luiz Henrique Romão, o “Macarrão”, e o primo do jogador Jorge Luiz Rosa, na época menor de idade, buscaram Eliza e o filho dela em um flat no Rio de Janeiro. Logo depois, levaram os dois para a casa do então goleiro do Flamengo e, no dia seguinte, todos viajaram para Minas Gerais. No dia 6 de junho, eles foram levados para o sítio de Bruno em Esmeraldas, na Grande BH.

De acordo com o inquérito do caso, Eliza e o bebê foram retirados do local quatro dias depois pelos primos do goleiro, sob a promessa que seriam levados para um apartamento próprio. Horas depois, os dois retornaram ao sítio sozinhos.

A partir desse ponto, o enredo ganha desdobramentos cruéis. Em depoimento, Rosa revelou que Eliza foi estrangulada e esquartejada na casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, em Vespasiano, também na região metropolitana da capital mineira. Parte do corpo, segundo ele, foi jogada aos cães.

No dia 24 de junho, a polícia recebeu informações de que Bruno teria matado a ex-amante e enterrado o corpo em Esmeraldas. Policiais estiveram no local e viram Dayanne Rodrigues, até então esposa do goleiro, com um bebê no colo. Ela foi levada à delegacia e, no dia 25 daquele mês, foi presa por sequestro de Bruninho.

No dia 9 de julho, Bruno e Macarrão foram presos no Rio de Janeiro e levados para Belo Horizonte. Durante as investigações, marcas de sangue de Eliza foram encontradas no carro do atleta, mas, até hoje, o corpo não foi localizado.

Cronologia do crime de Eliza Samudio segundo as investigações:

– 4 de junho de 2010: Macarrão e o primo de Bruno buscam Eliza e o bebê no Rio de Janeiro;

– 5 de junho de 2010: Viagem do Rio de Janeiro para Minas Gerais;

– 6 de junho de 2010: Eliza e o bebê chegam ao sítio de Bruno em Esmeraldas;

– 10 de junho de 2010: A ex-modelo e a criança são levadas do local pelos primos do goleiro;

– 10 de junho de 2010: Data da morte de Eliza, segundo a certidão de óbito. Bola é o acusado da execução;

– 24 de junho de 2010: Polícia encontra Bruninho com a esposa de Bruno na época;

– 25 de junho de 2010: Dayanne Rodrigues é presa pelo sequestro do bebê;

– 10 de julho de 2010: Bruno e Macarrão são presos por envolvimento no assassinato.

Bruno Fernandes

Em março de 2013, Bruno Fernandes foi condenado a 22 anos e 3 meses de prisão pelo sequestro, assassinato e ocultação do cadáver de Eliza Samudio. Em 2017, a Justiça reduziu a pena dele para 20 anos e 9 meses de detenção, após o crime de ocultação de cadáver prescrever. Em 2019, o esportista recebeu autorização judicial para ir ao regime semiaberto e deixou a prisão.

Atualmente, Bruno cumpre o restante da pena em casa. O goleiro mora em Cabo Frio, na região dos Lagos, no Rio de Janeiro, e se tornou empresário. Recentemente, ele inaugurou uma loja de açaí na cidade. Nos últimos meses ele também jogou por times de várzea da região.

No fim de maio deste ano, a Justiça do Mato Grosso do Sul decretou a prisão de Bruno por dívida de pensão do filho com Eliza. Ele ainda terá que pagar R$ 60 mil a Bruninho, referentes a dois salários mínimos por mês, desde janeiro de 2020. O atleta, no entanto, segue em liberdade.

Outras condenações

Bola, acusado de ser o executor de Eliza, ainda está no sistema prisional. A condenação dele no caso foi de 22 anos, mas em 2019 ele foi considerado culpado pela morte de um motorista, assassinado em 2009. A sentença foi de mais 16 anos de detenção.

O ex-braço direito do goleiro Bruno, Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, pegou 15 anos de detenção pelo homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio. A condenação aconteceu em 2012. Ele deixou a prisão no interior de Minas Gerais para cumprir pena domiciliar em 2018 e, desde então, segue na condicional.

Dayanne Rodrigues, ex-mulher de Bruno, foi absolvida pelo júri popular pela acusação de participação no sequestro e cárcere privado de Eliza.

Sérgio Rosa Sales, primo de Bruno, foi acusado por homicídio triplamente qualificado e ocultação do cadáver de Eliza Samudio, mas ele foi assassinado em agosto de 2012, antes de ser julgado.

Em novembro de 2012, Fernanda Gomes de Castro, ex-amante do goleiro Bruno, foi condenada a cinco anos em regime aberto pelo sequestro e cárcere privado de Eliza Samudio e Bruninho. Em setembro de 2017, a pena dela foi reduzida para três anos em regime aberto devido à prescrição do crime de cárcere privado.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 6.087 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.