20.3 C
Rio Branco
25 junho 2022 6:39 am

Homem leva tiro na testa, cai de moto e vai para casa dormir: neurocirurgião explica como isso é possível

Vítima não procurou ajuda médica depois de ser baleada. Mãe dele chamou PM e SAMU ao perceber que o filho estava ferido

POR G1

Última atualização em 07/06/2022 17:40

A história de um homem de 25 anos que levou um tiro enquanto conduzia uma moto, caiu do veículo e foi para casa dormir surpreendeu moradores de Araguaína, no norte do Tocantins. Isso porque a bala atingiu a testa da vítima, que só foi levada ao hospital depois que a mãe percebeu a lesão. A bala amassada foi encontrada na rua em que o jovem foi ferido.

Mas como isso é possível? Mesmo não aparentando, a situação é grave? É comum ficar consciente após uma lesão na cabeça?

O neurocirurgião Antônio Sérgio Guimarães explicou ao g1 que a lesão na cabeça provocada por arma de fogo pode não ser letal, a depender da área afetada, calibre utilizado, distância, posição do projétil e da vítima no momento do disparo.

“É comum, mas também é muita sorte. Se entra em ângulo reto, entra no crânio, mas se a bala entra meio de lado, bate e desvia. Pode ter lesado as partes moles, a pele, e o crânio. Se pega só a parte frontal, a pessoa pode sair andando”, afirmou o especialista.

Antônio Sérgio Guimarães afirma que, para causar uma lesão, depende de alguns fatores.

“Primeiro do calibre, da energia do projétil, se está próximo ou muito longe e se o projétil entra no compartimento encefálico, se transfixa de um lado para o outro, o que é muito grave, ou se atinge um hemisfério só. A gravidade é menor mas também é grave. Depende muito do local que é atingido no crânio”, disse o neurocirugião.

Depois do disparo o homem não procurou ajuda médica. Segundo a PM, ele tinha um ferimento na testa, de onde escorria algo que, segundo os agentes, parecia ser massa encefálica. Apesar disso o homem estava consciente e lúcido.

Conforme o especialista, apesar de o homem ter ido para casa com ferimento que aparentava ser leve, a situação poderia ter causado graves consequências, se não fosse tratada.

“Pode ter fraturado o crânio. Toda fratura de crânio é potencialmente grave, então vai depender da intensidade, se é uma fratura cominutiva – quebra do osso em vários pedaços – uma fratura linear, fratura afundada. Tudo isso tem que avaliar. Ele pode sim ter complicações sérias em função de um trauma desses”, explicou o médico.

O caso

Bala que atingiu a vítima na testa — Foto: PM/Divulgação
Bala que atingiu a vítima na testa — Foto: PM/Divulgação

O homem foi atingido na testa neste sábado (4) enquanto andava de moto por um bairro de Araguaína. O caso ocorreu na Rua Camboriú, no residencial Itaipú. A PM foi chamada pela mãe da vítima, que acordou e viu manchas de sangue nas roupas do filho.

A polícia informou que ao chegar na casa da família encontrou o jovem, que tem passagem pela polícia por envolvimento com entorpecente, sentado em uma cadeira com um ferimento na testa. O homem, lúcido, contou aos policiais quem havia feito o disparo. A PM fez buscas na região, mas não conseguiu localizar o suspeito.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi chamado e levou a vítima para o Hospital Regional de Araguaína, que não deu detalhes sobre o estado de saúde dele nem informou sobre sua alta.

A moto que a vítima conduzia foi encontrada na rua Santa Inês, no setor Raizal. Ao lado do veículo, havia vestígios de sangue e o projétil que atingiu o jovem. A motocicleta, então, foi entregue ao pai da vítima.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública informou que até a manhã desta terça-feira (7) a Polícia Civil não havia sido procurada pela vítima ou familiar para registrar a ocorrência.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 6.079 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.