21.3 C
Rio Branco
9 agosto 2022 7:17 am

Caso Nery: Justiça do Acre marca nova data para audiência de instrução e julgamento

POR O ALTO ACRE

Última atualização em 11/07/2022 09:32

A Justiça do Acre após adiar a pedido de advogada Helane Christina que atua na defesa do sargento da PM Erisson Nery, acusado de tentativa de homicídio contra o acadêmico de medicina Flavio Endres, de 30 anos, fato ocorrido em um bar da cidade de Epitaciolândia, novembro de 2021, tem nova data.

A advogada apresentou no dia 8 de junho passado ao judiciário acreano, um atestado médico de 30 dias por motivos de saúde e por isso, não poderia fazer a defesa de Nery na data marcada para audiência.

As partes envolvidas estão sendo intimadas para comparecerem no Fórum entre os dias 26 e 27. Na primeira audiência, o Sargento Erisson Nery participaria de forma on-line, sendo conduzido para o presídio do município de Senador Guiomard (Quinari).

Na época, o Juiz substituto da Comarca de Epitaciolândia, Dr. Clóvis de Souza Lodi, aceitou os argumentos da defesa e adiou para uma outra data ainda a ser definida Audiência de Instrução e Julgamento sobre o caso.

O processo segue em segredo de justiça a pedido da defesa que teve a segunda decisão favorável ao Sargento Nery em uma semana.

Relembre o caso

Dra. Joelma Ribeiro, Juíza da Vara Criminal de Epitaciolândia responsável pelo caso negou em abril deste ano, o pedido de insanidade mental de sargento Erisson Nery e agora a defesa dele tenta derrubar decisão na Justiça. E por isso Advogada pediu ainda a suspeição da magistrada, alegando que não há imparcialidade.

Sargento Nery é acusado de atirar quatro vezes a queima roupa contra o estudante Flávio Endres Ferreira (30), em novembro do ano passado em um bar de Epitaciolândia. A vítima está com sequelas em umas das mãos e braço e após passar por cirurgia na região do abdômen e ficar internado vários dias no pronto-socorro de Rio Branco. O jovem recebeu alta médica no início de dezembro passado.

O Militar ficou famoso nas redes sociais após assumir ‘trisal’, com a mulher também sargento da PM do Acre, Alda Nery, e Darlene Oliveira. Os três moravam em Brasileia e de acordo com informações, há alguns meses a sargento fazia tratamento psicológico, quando o casal voltou a gerar polêmica ao surgir boatos de separação.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.