33.3 C
Rio Branco
17 agosto 2022 11:40 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Em busca de água, jacarés lutam pela vida em poça de lama; veja vídeo

Entre os animais, alguns não se mexem, outros se movem para buscar água. O vídeo foi registrado em uma fazenda no Pantanal de Mato Grosso do Sul

POR G1

Em meio à seca no Pantanal, vários jacarés foram vistos agonizando em uma poça de lama, em uma fazenda na região do Abobral, no bioma. No vídeo, os animais aparecem amontoados na busca pela vida. Assista acima.

CLIQUE AQUI para ver o víedo.

“Jacarezada está na beira da birita [bebedouro usado para armazenar água para o gado], por causa da água. Estão todos agoniados, morrendo, chega dá dó. Olha, que judiação!“, diz um homem no vídeo.

Nas imagens, vários jacarés aparecem abarrotados, a poucos metros do que seria um bebedouro de água para cavalos e gado. Os animais, desnutridos e em situação crítica, se confundem com a lama e as biritas de pedra. Alguns bichos aparentam estar mortos, outros suspiram na busca pela vida.

O registro foi feito por um funcionário da fazenda Sagrado, que faz parte do município de Corumbá (MS). Após a gravação, o vídeo foi compartilhado nas redes sociais de Hugo Tognini, que confirmou que o registro foi feito no Pantanal de Mato Grosso do Sul, há uma semana.

Na publicação, Hugo lamenta a situação e relembra do período de estiagem que castiga o Pantanal. “Triste a situação em alguns lugares do Pantanal sul-mato-grossense, passam por uma seca severa”, detalhou.

A pesquisadora e especialista em jacarés, Zilca Campos, explica que a região do Abobral, onde o vídeo foi feito, está seca desde 2020. “Pantanal do MS está muito seco, aliás não teve enchente em 2022. A seca severa continua levando a morte de muitos jacarés e outros animais da fauna. Isso está acontecendo, isso é fato”, lamenta a pesquisadora.

O coronel Ângelo Rabelo, presidente do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), comenta que a cena registrada, neste ano, já foi vista por ele em outros momentos no Pantanal. “Vai continuar acontecendo na medida que secar, lamentavelmente há muito pouco o que fazer”.

“Nós estamos entrando em um ciclo de muita seca. Bacias que estavam com muita água há 30 anos, secaram. Os animais mais espertos acompanharam o percurso dos rios. Alguns ficam para trás e ficam em processo de hibernação, mas outros acabam morrendo”, comentou Rabelo.

Situação de emergência

O governo de Mato Grosso do Sul decretou estado de emergência em 14 cidades do estado, em razão das queimadas no Pantanal e Cerrado. A medida foi anunciada, nesta quinta-feira (21), pelo governador, Reinaldo Azambuja (PSDB). O decreto começa a ser válido nesta sexta (22).

A decisão seguirá por seis meses e tem a capacidade de ampliar os poderes das forças de segurança, para que possam agir na prevenção e combate aos incêndios florestais. O decreto ainda permite que o governo estadual contrate ou adquira bens ou serviços em caráter emergencial.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.