31.3 C
Rio Branco
7 agosto 2022 2:21 pm

ExpoAcre: Governo exigirá passaporte da vacina e outras medidas por conta da Covid

As recomendações devem valer para todas as pessoas presentes na feira

POR REDAÇÃO CONTILNET

Última atualização em 13/07/2022 11:30

Em reunião extraordinária nesta sexta-feira, 8, com a participação da coordenação da Expoacre 2022, Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) e representantes do Conselho Estadual de Educação, o Comitê de Acompanhamento Especial da covid-19 no estado definiu medidas de prevenção a serem adotadas durante a Expoacre, a Expojuruá, e no âmbito das escolas da rede estadual de educação.

Para maior segurança de visitantes, expositores e organizadores da feira de negócios na capital e no vale do Juruá, durante o evento será cobrada carteira de vacinação, obedecendo o esquema vacinal por faixa etária.

Crianças de 5 a 11 anos devem comprovar ter tomado pelo menos a primeira dose da vacina contra a covid. Adolescentes e jovens de 12 a 17 anos devem apresentar comprovante de duas doses do imunizante. Já pessoas com idade acima de 18 anos devem comprovar esquema vacinal com três doses.

A obrigatoriedade do uso de máscara também deve ser mantida. Estado e Município devem atuar em conjunto na fiscalização e em ações de prevenção.

As recomendações devem valer para todas as pessoas presentes na feira. As medidas, que consideram o aumento nos casos de covid, visam a segurança da saúde da população.

No Acre, nos últimos três dias foram registrados 400 novos casos, em média. Na avaliação do comitê, o aumento no número de casos de covid-19 e síndromes gripais acende o alerta, sem a necessidade de retroagir ao que ocorreu anos de 2020 e 2021, durante o pico da pandemia.

Há que se considerar o momento sazonal, de junho a setembro em que, normalmente, há um aumento de síndromes respiratórias.

O chefe da Rede de Urgência e Emergência do Estado, Edvan Meneses, lembrou que, embora haja crescimento no número de novos casos, a hospitalização é baixa: “No momento não temos pacientes internados em UTI [Unidade de Tratamento Intensivo]. Temos pacientes na Upa, em estado estável, que não necessitam de aparato tecnológico. O que se observa é que quem foi vacinado pode até ser reinfectado, mas a doença não evolui. Mais um motivo para reforçar a importância de completar o ciclo vacinal”.

Atendimento

A Rede de Urgência e Emergência de Saúde foi reorganizada para atender casos de covid. Uma das unidades de média complexidade, a UPA do Segundo Distrito, é a referência. No Pronto-Socorro, Hospital da Criança e Maternidade há leitos de retaguarda. “Tanto de enfermaria, de média complexidade em rede hospitalar, quanto de alta complexidade em UTI. Conforme os dados, a necessidade, a rede vai se remodelando, sendo readequada, para atender da melhor forma”, enfatizou Edvan.

Prevenção nas escolas

De acordo com o Comitê, a realização de eventos no âmbito das escolas deve ser suspensa. Seguindo Nota Técnica da Fiocruz e orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS), no Acre, as aulas presenciais deverão continuar, desde que mantidos os cuidados com a higiene das mãos, isolamento de casos suspeitos, ou confirmados, e higienização dos espaços, quando necessário. “A escola deve ser espaço resumido a atividades pedagógicas”, explicou Adevagner Lopes Prado, coordenador do Comitê.

Todas as medidas recomendadas pelo Comitê Especial serão encaminhadas à gestão estadual e, caso acatadas, poderão embasar novo decreto para regular as regras, por um período de até trinta dias, quando, então, o comitê poderá reavaliar a situação de saúde pública no Acre.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.