23.4 C
Rio Branco
15 agosto 2022 7:37 am

Justiça realiza audiência de instrução e julgamento que pode levar o sargento Nery à Júri Popular

POR O ALTO ACRE

Última atualização em 26/07/2022 20:37

Acontece entre está terça-feira e quarta-feira (26), na Vara Única da Comarca de Epitaciolândia a Audiência de Instrução e Julgamento do Sargento Nery da PM que foi denunciado pelo Ministério Publico do Acre (MPAC), em 02 de fevereiro deste ano, mas, está detido há oito meses no Batalhão de Operações Especiais – Bope, em Rio Branco.

Conforme denúncia do Ministério Público do Estadual, Sargento Nery é acusado de tentativa de homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que impossibilitou a defesa da vítima, porte irregular de arma de fogo de uso permitido e por lesão corporal de natureza grave, contra o estudante de medicina Flavio Endres, de 30 anos. Além de desferir socos e chutes após atirar por quatro vezes à queima-roupa contra a vítima.

Ainda de acordo com a denúncia, Nery estava com duas companheiras que até então formavam o ‘trisal’ da fronteira, em um bar em Epitaciolândia no dia 28 de novembro do ano passado, quando aconteceu uma confusão entre a vítima e uma das esposas do policial.

A primeira Audiência de Instrução e Julgamento sobre o caso Nery estava prevista para acontecer dois meses atrás, no dia 09 de junho. Mas, advogada de defesa do militar, Dra. Helane Christina, apresentou um dia antes na Comarca de Epitaciolândia, um atestado médico de 30 dias, por motivos de saúde, e por isso, não poderia fazer a defesa na data marcada.

Na época, o Juiz substituto da Comarca de Epitaciolândia, Dr. Clóvis de Souza Lodi, aceitou os argumentos da defesa e adiou Audiência de Instrução e Julgamento para ser definida uma nova data.

No início do mês, a Juíza titular da Vara Única de Epitaciolândia Dra. Joelma Ribeiro Nogueira, confirmou para os dias 26 e 27 de julho, a Audiência de Instrução e Julgamento que acontece no Fórum de Epitaciolândia, e que pode levar ou não o Sargento Nery a júri popular.

A vítima Flavio Endres (e) já foi ouvido hoje pela manhã com outras testemunhas. O réu, Sargento Nery (d), será o último a ser ouvido nessa Audiência

Ao todo no processo são 19 testemunhas, sendo 16 de acusação e 3 de defesa. Destas, 15 participarão por vídeo conferência e 4 de forma presencial. Entre elas, a delegada Dra. Carla Ivane, responsável pelo inquérito policial do caso e que decretou a prisão do Sargento Nery, um dia após ele cometer, segundo o MP, o crime em 29 de novembro do ano passado.

A vítima Flavio Endres já foi ouvido hoje pela manhã com outras testemunhas. O réu, Sargento Nery, será o último a ser ouvido nessa Audiência de Instrução e Julgamento, só então a magistrada fará a pronúncia se ele vai a júri popular ou não.

O Ministério Público está sendo representado nessa audiência pelo Promotor Justiça Dr. Thiago Salomão, responsável pela suspenção da denúncia do MPAC contra o sargento Nery.

De acordo com informações do Fórum de Epitaciolândia, depoimentos serão suspensos a partir das 14 horas e retornarão amanhã, a partir das 8 horas na Comarca.

O processo segue em segredo de justiça a pedido da defesa que teve a segunda decisão favorável ao Sargento Nery em junho.

O Comando Geral da Polícia Militar do Acre divulgou uma nota de esclarecimento à época dos fatos em novembro de 2021 passado, sobre o caso do sargento Erisson Nery.

Na publicação, o Comando Geral informa que está apurando disciplinarmente os fatos e que adotará as medidas disciplinares cabíveis, ficando sob responsabilidade da Polícia Civil, a apuração criminal.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.