22.3 C
Rio Branco
7 agosto 2022 10:10 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

“Patinho feio” no PT, Cesário Braga pavimenta caminho para chegar à Aleac e se transformar em “cisne”

POR EVERTON DAMASCENO, DO CONTILNET

Patinho feio

Assim como no conto de fadas “O Patinho Feio”, do escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, em que o ‘pato’ se descobre como cisne, a política acreana pode conhecer uma história parecida com essa em breve. Trata-se de Cesário Braga, militante do PT preterido por alguns, mas que está prestes a abocanhar uma vaga na Aleac e se transformar em cisne. Tem feito uma pré-campanha sólida e conseguido apoios importantes.

Chapa

Braga, que é ex-presidente estadual do PT, está confiante que a chapa de estaduais da federação entre PT, PCdoB e PV pode eleger até quatro deputados estaduais. “Espero que façamos uma linda festa na convenção dia 30. Nossa chapa da federação está muito representativa e competitiva, temos companheiros e companheiras de vários municípios e segmentos. Acredito que podemos eleger até quatro deputados estaduais”, disse à coluna.

Vai entrar

Possivelmente, uma dessas quatro vagas deve ficar com o próprio Cesário. É o que ele espera. “Estou muito confiante, pois sei que posso contar com os companheiros e companheiras de todo o Acre que estão construindo junto conosco esse sonhos de colocar mais uma vez um militante na ALEAC! Como foi com Nilson Mourão e Marina Silva na década de 90”, contou.

Governo

Mesmo com uma aliança entre PT e PSB sendo costurada há algum tempo, com o socialista Jenilson Leite disputando o Governo e Jorge Viana o Senado, a ideia de ter um candidato petista ao cargo mais alto do Estado nas eleições deste ano ainda não saiu da cabeça de Cesário. “Espero que o Jorge (Viana) decida ser candidato a governador, o povo está pedindo e o Acre precisa”, concluiu.

Cesário Braga diz que quer fazer um ‘mandato militante’/ Reprodução

Solidariedade

A convenção do partido Solidariedade no Acre está marcada para ocorrer no próximo dia 27 de julho. “Mas será apenas protocolar”, disse à coluna o presidente estadual da legenda, o ex-deputado Moisés Diniz. “Não convidaremos autoridades da Direção Nacional e nem do Acre. Deixaremos pra fazer um ato político após a ExpoAcre. Nosso partido está apresentando uma chapa com 9 nomes de deputados federais e 25 nomes de deputados estaduais. Não estamos discutindo a nossa participação nas chapas majoritárias”, contou.

Senado

Se o apoio à reeleição do governador Gladson Cameli (Progressistas) já é assunto encerrado dentro do Solidariedade, o apoio do partido para a vaga do Senado ficou em aberto. “Nosso compromisso é com a reeleição de Gladson Cameli e era com a pré-candidatura da Márcia Bittar ao senado. Como houve mudança, o Solidariedade vai aguardar o desfecho no nosso grupo político, sentar e avaliar. O debate sobre a vaga do senado não está fechado no Solidariedade”, afirmou Diniz.

Candidatos competitivos

O portal Poder360 divulgou nesta terça (19) um levantamento sobre os partidos que têm candidatos mais competitivos ao Senado, de acordo com as últimas pesquisas eleitorais. O PL, partido do presidente Jair Bolsonaro, lidera ou está empatado na margem de erro em primeiro lugar para o Senado em cinco estados e no DF.

Base bolsonarista

De acordo com o levantamento, pré-candidatos do PL lideram no DF, Espírito Santo, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Sergipe. Mas levando em consideração as siglas da base de apoio a Bolsonaro, o número aumenta: são três candidatos competitivos do Progressistas, 1 do PSC e 3 do Republicanos. Somados aos do PL, o número chega a 13 no total.

Esquerda

Já os partidos de esquerda e de centro-esquerda (PT, PDT, PSB e Psol) têm nove candidatos em primeiro lugar nas pesquisas ou estão empatados nessa colocação. O PT é o partido desse campo com mais candidatos à frente nas pesquisas, em quatro estados: CE, PB, PI e AC, com Jorge Viana.

Liberdade

No sistema político-partidário brasileiro, o MDB sempre foi conhecido como um dos partidos que mais dá liberdade aos seus filiados e donos de mandatos para apoiar quem bem entende. Raramente o partido aplica algum tipo de punição. No pleito deste ano, a sigla deve permanecer do mesmo jeito, fazendo vista grossa para os infiéis.

Rachou

Mesmo com uma pré-candidatura à Presidência da República, o da senadora Simone Tebet, 11 diretórios estaduais (Amazonas, Maranhão, Piauí, Ceará, Alagoas, Bahia, Paraíba, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Pará e Rio Grande do Norte) do MDB decidiram apoiar o candidato petista, o ex-presidente Lula, já no 1º turno. A formalização do apoio ocorreu após uma reunião entre Lula e um grupo de emedebistas na Fundação Perseu Abramo, em São Paulo, nesta segunda (18). O Acre ficou de fora da negociata.

Baleia

Apesar do racha, o presidente nacional do partido, o deputado federal Baleia Rossi (MDB-SP) garantiu que não há chances da candidatura de Tebet ir pelo ralo. Pelo Twitter, ele disse que conversou com os dissidentes e que Tebet será candidata. “Conversei há pouco com alguns dirigentes do MDB que supostamente estariam com outro candidato a presidente. Eles me garantiram que vão apoiar Simone Tebet na convenção que vai homologá-la candidata. Decidimos por maioria, respeitando as minorias. Teremos apoios nos 27 estados”, afirmou.

ICMS

A redução do ICMS sobre os combustíveis ainda está rendendo. O ministro do STF, Gilmar Mendes, mandou criar uma comissão especial para apresentar propostas sobre a cobrança do ICMS sobre combustíveis para tentar solucionar o impasse envolvendo os Estados e a União sobre a cobrança do imposto. Deverão ser ouvidos especialistas em contas públicas e em arrecadação de impostos. O prazo para encerrar os trabalhos está marcado para 4 de novembro deste ano.

Embaixadores

O assunto do dia da última segunda (18) foi o encontro de Bolsonaro com embaixadores. Na reunião, Bolsonaro, como de costume, fez ataques ao TSE e ao sistema eleitoral brasileiro, alegando ter havido fraude nas eleições de 2018. Porém, o presidente não apresentou provas. Após os ataques, a Comunicação do TSE tratou de responder as declarações feitas pelo presidente sobre o processo eletrônico de votação durante o encontro. Para ler, clique AQUI.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.