24.3 C
Rio Branco
10 agosto 2022 12:25 pm

Na Expoacre, o proprietário de terra também lucra com a floresta em pé

POR KATIÚSCIA MIRANDA, PARA CONTILNET

Última atualização em 03/08/2022 11:48

Uma competição acirrada para conservar a floresta em plena Expoacre. E quem diria que essa corrida seria verdade entre os proprietários de terra e produtores rurais do Acre.

Quem garante que essa realidade tão aguardada por ambientalistas e por pessoas do mundo inteiro é um mercado em potencial e com crescimento expressivo, é o CEO da brCarbon, Bruno Brazil.

“Nos últimos três anos, o que tem sido constatado é que existe uma corrida para a conservação da floresta. No ano passado, o mercado de carbono produziu, em todos os projetos do Brasil, 10 milhões de créditos, o equivalente a R$ 750 milhões”, disse Bruno.

Esse ano esse número vai chegar a R$ 1,5 bilhão de demanda por créditos, de acordo com Bruno. “Finalmente as empresas multinacionais estão colocando o discurso em prática e os motivos são estratégicos. Elas já estão buscando se adequar e neutralizar as suas emissões”, explicou o empresário.

No Acre, existem cinco desenvolvedoras de projetos de redução de emissão de gases de efeito estufa e não somente as empresas, mas também os proprietários de terra estão competindo pra ver quem conserva mais.

A brCarbon está com stand na Expoacre, inclusive com a uma demonstração em realidade virtual com imagens produzidas pela San Francisco Filmes, parceira do ContilNet na transmissão ao vivo da feira nesta edição 2022.

brCarbon na ExpoAcre/Foto: ContilNet

A empresa, que tem dois anos de atuação no mercado de carbono, vai inaugurar uma sede ainda este ano no Acre, onde já possui um posto avançado.

Sobre a brCarbon

A brCarbon (BRC) é uma climate tech que promove soluções climáticas naturais com recursos financeiros do mercado de carbono para mitigar os efeitos das mudanças climáticas globais. Atua com estratégias e tecnologias inovadoras para viabilizar ações de conservação florestal, restauração ecológica e agropecuária e extrativismo sustentável, além de desenvolvimento das comunidades locais.

Uma das frentes de trabalho é a geração de créditos de carbono para produtores rurais por meio da conservação de áreas florestais dentro de suas propriedades. Além do ganho ambiental e benefícios climáticos, a manutenção da floresta em pé do excedente da reserva obrigatória por lei é transformada em resultado financeiro para os proprietários.

Fundada em novembro de 2020 e com sede em Piracicaba (SP), conta com uma diretoria técnica com 15 anos de experiência no mercado voluntário de carbono. Nos próximos três anos, a brCarbon pretende expandir sua atuação em oito estados da Amazônia Legal, atingindo a conservação de 1,5 milhão de hectares.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.