29.3 C
Rio Branco
18 agosto 2022 9:39 am

Radialista acreano relembra de seu encontro com Jô Soares: “Grande homem”

POR TIÃO MAIA, PARA O CONTILNET

Última atualização em 05/08/2022 11:57

Entrevistado por Jô Soares em 1997 ainda no SBT, onde o artista começou o programa de entrevistas mais famoso da televisão brasileira, o radialista Pedro Valério, acreano de Tarauacá, falou, nesta sexta-feira (5), sobre suas impressões em relação ao apresentador, falecido na madrugada de hoje, em São Paulo. “Era um homem visivelmente muito educado. Nos tratou como príncipes em seu estúdio, fazendo de tudo para que a gente superasse a timidez e ficasse à vontade em seu estúdio”, disse Valério ao ContilNet.

A razão da entrevista foi um programa da Rádio Difusora Acreana, em Rio Branco, na qual Valério trabalhou por quase 20 anos como radialista. Ao lado do colega Edmar Bezerra, Pedro Valério apresentava o programa de mensagens até hoje transmitido pela emissora, cujos textos eram ditados pelos próprios interessados, em sua maioria gente que morava nas colônias e seringais e que, uma vez na cidade, precisava manter contato com os familiares e amigos que ficavam na zona rural, ávidos por notícias dos seus. Os textos lidos ao vivo e redigidos de forma coloquial traziam pérolas que em outros programas seriam impublicáveis, como, por exemplo, aquele que dizia que “o negócio do cavalo não entrou totalmente. A outra metade entra amanhã”. Ou a história de uma certa Mariazinha, dona de um quarteirão, cujo hóspede dependia do transporte do Cuca, um motorista que fazia frete da cidade rumo ao seringal em que vivia a família do homem que estava na idade e que estava de alta de um hospital após um acidente e se hospedara um dos apartamentos do quarteirão da mulher. A mensagem, lida pelos radialistas, saiu mais ou menos assim: “Atenção Tonha e parentes no no Seringal Quebra-Flror. já saí do hospital e estou nos Quartos da Mariazinha. Só vou quando o Cuca estiver aí”.

Pedro Valério em entrevista ao Jô Soares/Foto: Reprodução

Os textos, com as cacofonias próprias do linguajar coloquial, relatado pelos radialistas, levaram Jô Soares às gargalhadas. O próprio apresentador, que se mudaria em seguida para a Rede Globo e por lá permaneceria por mais de 16 anos, só encerrando seu programa em 2016, dizia que aquela fora uma de suas entrevistas mais engraçadas. 

Pedro Valério lembra do apresentador com carinho. “Fiquei feliz em fazer rir aquele que era o mestre do humor, o mestre em fazer as outras pessoas rirem”, disse o radialista. Pedro Valério também mudou de vida. O menino pobre de Tarauacá que fez um pouco de tudo na vida, inclusive vendeu panelas em Porto Velho (RO) para ajudar no sustento de sua família, que mudou-se para a chamada Baixada da Sobral, no bairro João Eduardo, deixou de ser radialista, tornou-se empresário do ramo da construção civil e agora é ativista político. Depois de dirigir o PSL, partido que se transformou em União Brasil após a junção com o DEM, é candidato a deputado federal.

“Hoje é um dia triste pela partida deste grande homem que foi Jô Soares. A nós, que o admirávamos, só cabe rezar ao nosso Deus para que o receba de braços abetos”, disse Valério, que logo mais à tarde deve ser indicado candidato a deputado federal na convenção partidária. na Livraria Paim, em Rio Branco.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.