Rio Branco, Acre,


Imagens mostram destruição de equipamentos no interior da fábrica de tacos, em Xapuri

Decadência e desrespeito no trato com o dinheiro do contribuinte acreano, que ainda paga parcelas dos empréstimos contratados para o empreendimento

Máquinas estão abandonadas no interior da fábrica/Foto: cedida
Máquinas estão abandonadas no interior da fábrica/Foto: cedida

Imagens obtidas com exclusividade por ContilNet mostram o atual estado de destruição dos equipamentos abandonados no interior da fábrica de tacos, em Xapuri. Em agosto, reportagem já tinha mostrado que o empreendimento bancado com recursos de empréstimos faliu e não tem nenhuma atividade há pelo menos dois anos, tornando-se em elefante branco às margens da BR-317.

À época da passagem pela fábrica, a reportagem não conseguiu ter acesso ao seu interior, sendo permitido que permanecesse somente na guarita para conversar com o último trabalhador, Daniel Nascimento, 36 anos, que aguardava a oportunidade de um novo emprego para sair do local.

PUBLICIDADE

As fotos foram registradas pelos deputados Luiz Gonzaga (PSDB) e Wherles Rocha (PSDB), que entraram nas dependências da fábrica valendo-se da prerrogativa de “fiscais do povo”.

Leia mais:

Com fábrica de tacos falida em Xapuri, último funcionário espera nova chance de emprego

As imagens mostram a decadência e o desrespeito no trato com o dinheiro do contribuinte acreano, que ainda paga as parcelas dos empréstimos contratados para a instalação da fábrica, ainda no governo Jorge Viana. O projeto era transformar o Acre numa referência mundial no beneficiamento de madeira retirada de projetos de manejo sustentável.

De 2006 para cá, porém, o negócio se mostrou um fiasco. Todo o maquinário que deveria ser utilizado para a produção dos tacos – peças de madeira usadas para acabamento do piso – foi comprado na Alemanha. Estima-se que à época o custo foi de R$ 20 milhões, mais as despesas com consultorias para sua operação.

fabricatacosabandono3

O que se vê dos equipamentos modernos e tidos como o de última geração neste tipo de trabalho são apenas carcaças. Peças cuja manutenção chega a custar R$ 2 milhões e ser enviada para fora do Brasil desapareceram.

As rodas de pequenos tratores usados para o transporte da madeira também tomaram rumo ignorado. Aliás, como se observa, do veículo não ficou nada.  Ainda é possível encontrar peças de madeira que se deterioram expostas à ação do Sol e da chuva.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up