Número de pessoas mortas por policiais no Acre aumenta 270% em apenas 3 anos


Dados são do Monitor da Violência, informativo processado com números oficiais dos 26 estados brasileiros e Distrito Federal

ASTORIGE CARNEIRO, DA CONTILNET

A segurança pública e a violência voltaram, mais uma vez, ao centro do debate nesta quinta-feira (10). Divulgado em rede nacional pelo portal de notícias G1, o Monitor da Violência traz os números de mortes de pessoas por policiais militares e civis no Brasil.

O estado do Acre assusta pela proporção: de 2015 a 2017, houve um aumento de 270% nos números de mortes, colocando o Estado entre os cinco territórios brasileiros com a maior taxa por 100 mil habitantes, empatando com o estado do Pará com taxa de 4,5.

OS NÚMEROS

Em 2015: 10 pessoas mortas (taxa de 1,2)

Em 2016: 25 pessoas mortas (taxa de 3,1)

Em 2017: 37 pessoas mortas (taxa de 4,5)

CRIAÇÃO

O levantamento teve como base informações oficiais dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal. Os dados de 2015 e 2016 são dos anuários do Fórum Brasileiro de Segurança Pública; os de 2017 são do G1 e seguem o mesmo padrão metodológico.

A NÍVEL NACIONAL

O Brasil teve no ano passado 5.012 pessoas mortas por policiais – 790 a mais que em 2016, representando um aumento de 19%; no mesmo período, 385 policiais foram assassinados – número menor que o do ano anterior.

O Amapá é, mais uma vez, o estado com a maior taxa de mortos pela polícia do país: 8,3 a cada 100 mil habitantes – bem acima da média nacional (2,4). Foram 66 pessoas mortas pela polícia em 2017.

comentários

Outras Notícias

Veja Também