“Querem transformar sofrimento de famílias em votos”, diz Tião sobre pedido de intervenção federal


Tião também fez duras críticas à conduta dos senadores, chegando a questionar o real motivo desse pedido de intervenção federal

ASTORIGE CARNEIRO, DA CONTILNET

O embate iniciado pelos comentários do senador Petecão (PSD), que teve respostas do governador Tião Viana e do senador Jorge Viana, motivou a realização de uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira (12) para tratar exatamente do tema da segurança pública no Acre.

Na Casa Civil, o governador do Estado, Tião Viana, acompanhado de autoridades das polícias civil e militar, do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e do diretor do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), Aberson Carvalho, rebateu as críticas dos senadores Gladson Cameli (PP) e Petecão sobre a falta de segurança no Acre.

Govenador Tião Viana e o Coronel da PM, Marcos Kinpara (Foto: ContilNet)

“Ontem [11 de julho] tivemos um contencioso entre a minha condição de governador e um senador da República. Respondia em nota. Esse pedido de ‘intervenção federal’ é um ato que eu traduzi como um ato de irresponsabilidade, que não traz respeito nem às forças policiais e nem às famílias das vítimas. Tomem como exemplo o Rio de Janeiro: 50 policiais foram assassinados só neste ano e a violência aumentou. Não se brinca com segurança pública”, disse Viana.

SENSACIONALISMO POLÍTICO

Na mesma coletiva, o governador também fez duras críticas à conduta dos senadores, chegando a questionar o real motivo desse pedido de intervenção federal feito ao presidente Michel Temer na última quarta-feira (11), por um grupo de seis dos 11 deputados e senadores do Acre.

“Veja bem, eu não vi esse discurso do senador [Petecão] e nem de seus parceiros de oposição ano passado. E agora estão fazendo isso a troco de quê? Por ser véspera de eleição? Querem transformar o sofrimento de famílias e a luta de nossas polícias em votos?”, questionou Viana.

COMBATE AO NARCOTRÁFICO

Tião voltou novamente à destacar a falta de apoio do Governo Federal no combate ao narcotráfico nas fronteiras acreanas com Peru e Bolívia, centro dos discursos do governo do Estado na questão do combate à propagação da violência no Estado.

Coletiva foi realizada na Casa Civil nesta quinta-feira (12) (Foto: ContilNet)

De acordo com o governador, um valor foi prometido pelo Governo Federal para investimentos na Segurança Públia do Acre, e que até hoje não foi encaminhado: “Eles se apoiam no governo Temer, mas vale lembrar que o Governo Federal prometeu cerca de R$ 150 milhões para a segurança pública no Acre, e até agora nada veio. Pedi a presença do Governo Federal, do Exército, e dos efetivos federais cuidando das fronteiras do Acre inúmeras vezes. O ovo da serpente, a origem do mal, é o narcotráfico produzido no Peru e na Bolívia – porque no Acre não se produzem entorpecentes. O senador, ao fazer isso, diminui nossa força policial, que apenas no mês de junho apreendeu mais de 500 kg de drogas no Acre. Como combater o narcotráfico, a origem da violência, com apenas 35 homens da Polícia Federal em Cruzeiro do Sul?”

comentários

Outras Notícias

Veja Também