Prefeita de Tarauacá é acusada de superfaturar obras de módulos sanitários no município


Obra de sanitário vai custar quase R$ 30 mil, maior que o valor de imóvel para os padrões do município diz vereador

SALOMÃO MATOS, DO CONTILNET

O presidente da Câmara de Vereadores do município de Tarauacá, no interior do Acre, Carlos Tadeu Lopes (PCdoB), pretende denunciar na próxima sessão do parlamento, a prefeita da cidade, Marilete Vitorino (PSD), que, segundo ele, superfaturou valores na construção de 11 módulos sanitários (banheiros), ao custo de cada unidade em mais de R$ 27 mil.

Marilete Vitorino./Foto: Reprodução

Segundo o vereador, com esse montante é possível construir uma casa inteira em madeira nos padrões de onde estão previstos serem erguidas as edificações, na região conhecida por Ipepaconha, no bairro Esperança.

“Se levar ao pé da letra o gasto com a construção desses banheiros, no final da obra, o próprio módulo sanitário vai ficar mais caro que o próprio imóvel”, diz o parlamentar.

Com a construção dos 11 módulos sanitários, a prefeita de Tarauacá, pretende gastar com o dinheiro que veio do Ministério da Saúde, nada menos que $ 298.442,21 (Duzentos e noventa e oito mil e quatrocentos e quarenta e dois reais e vinte e um centavos).

Alheio as denúncias do vereador de Tarauacá, a prefeita já homologou um documento com a ata para registro de preço para começar as obras dos sanitários. O  documento foi publicado na edição do Diário Oficial do Estado (DOE) na manhã desta quinta-feira (8).

Publicação no Diário Oficial do Estado (DOE)/Foto: Reprodução

comentários

Outras Notícias

Veja Também