Rio Branco, Acre,


No Acre, 50% das vítimas fatais de acidentes de trânsito são motociclistas

Dos 1.737 acidentes de trânsito, com vítimas, ocorridos em 2018, 934 envolviam motocicletas

Meio de transporte rápido e econômico, que favorece o deslocamento e o estacionamento. Essas são algumas das vantagens de transitar em uma motocicleta. Porém, se não utilizada de forma correta pode colocar em risco a vida não só dos motociclistas, mas de todos os participantes do trânsito.

Estudos realizados pela Coordenação de Engenharia do Detran/AC mostram que dos 1.737 acidentes  de trânsito, com vítimas, ocorridos em 2018, 934 envolviam motocicletas, o que corresponde a 53,77% do total. Ainda no ano passado, foram 26 mortes no trânsito, das quais 50% transitavam em motocicletas.

De acordo com o a Seguradora Líder, responsável pelo seguro DPVAT, 75% das indenizações pagas em 2018, foram por mortes e invalidez permanente decorrentes de acidentes de trânsito em motocicletas.

Atualmente a frota total do Acre é de aproximadamente 270 mil veículos, dessas 142 mil motocicletas circulam nas vias do estado e em Rio Branco são quase 80 mil.

As motocicletas são veículos mais vulneráveis, por isso qualquer acidente pode ser fatal (Foto: Renato Beiruth/Detran)

Na opinião da educadora de trânsito do Detran/AC, Rebeca de Paula, o crescimento da frota de motocicleta não justifica o número de acidentes e mortes de motociclistas. “O comportamento de quem dirige é fator fundamental para a proteção da vida no trânsito. Se todo mundo respeitar as regras, transitar com gentileza e responsabilidade com certeza o número de acidentes e mortes irão diminuir”, afirma.

 Marcado para sempre

Em agosto de 2018 o auxiliar de serviços gerais, Raimundo da Silva Ferreira, estava em mais um dia de rotina, em que se deslocava de casa para o trabalho, foi surpreendido por um veículo que invadiu a via preferencial e o acertou. “Felizmente eu vinha em uma velocidade baixa e a batida não foi tão forte, mas mesmo estando correto eu me machuquei bastante”, explica.

Apesar de a batida ter sido leve, Raimundo Ferreira fraturou o pé e teve que passar dois meses em recuperação. O pé sarou, porém o trauma será seu companheiro por toda vida.

A motocicleta proporciona muitas vantagens, mas também muitos perigos (Foto: Renato Beiruth/Detran)

“Percebi que as pessoas morrem por motivos tão bestas. A moça que bateu em mim, por exemplo, confessou que estava apenas apressada para chegar em casa e acabou não prestando atenção. Ela só se importou com a pressa dela, não pensou no outro e a gente tem que dirigir pensando não somente em nosso destino, mas no percurso, nas pessoas ao nosso redor”, salientou Ferreira.

Dicas de segurança

  1. Mantenha-se sempre visível.É recomendável a utilização de roupas com detalhes reflexivos, além disso, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o condutor de motocicleta, motoneta e ciclomotor deve transitar sempre com os faróis do veículo ligados, atitude que ajuda a manter o veículo ao alcance do campo de visão dos outros motoristas.
  2. Respeite os sinais de PARE.É fundamental respeitar os sinais de PARE nos cruzamentos, afinal, nenhuma sinalização é implementada sem motivo. Porém é preciso tomar precauções ao parar, para não comprometer os veículos que seguem atrás de você.3. Não ultrapasse nas curvas.

    Fazer ultrapassagens nas curvas limita a visibilidade dos veículos que transitam pela pista oposta. O ideal é esperar por um trecho de retas para poder realizar a manobra com segurança.

    4. Não transite em paralelo a outros motociclistas.
    Principalmente em caso de situação perigosa, como esquivar de um carro ou algum obstáculo no caminho, não haverá espaço suficiente para manobrar, comprometendo a sua segurança e a do outro motociclista.

    5. Não bloqueie as passagens de pedestre.
    Ao chegar a um cruzamento, sempre pare antes de cruzar a linha e nunca obstrua o tráfego de pedestres. Parar em cima da faixa é crime e dá multa.

    6. Cuidado com o ponto cego.
    Não circule muito próximo a carros ou caminhões. Você pode estar na zona de “ponto cego” dos outros veículos, que podem mudar de pista sem aviso prévio e provocar acidentes.

    7. Respeite o sinal vermelho e os limites de velocidade.
    Observe com cuidado e antecedência o sinal vermelho. Comece a parar antes de chegar muito próximo do semáforo e jamais exceda os limites de velocidade da via.

    8. Cuidado com crianças nas ruas.
    Anteceda qualquer situação de risco e circule com mais cuidado, principalmente em zonas escolares e nas proximidades de parques e praças. Reduza a velocidade e se atente para grupos de crianças que jogam bola no meio da rua.

    9. Observe os obstáculos no caminho.
    Os mais diferentes tipos de obstáculos nas ruas, como lixo, entulho, árvores caídas ou buracos, podem intensificar o risco de um acidente. Por isso, mantenha-se atento ao caminho para perceber irregularidades na pista com tempo suficiente para evitar tragédia.

    10. Não transite em paralelo a outros motociclistas.

    Principalmente em caso de situação perigosa, como esquivar de um carro ou algum obstáculo no caminho, não haverá espaço suficiente para manobrar, comprometendo a sua segurança e a do outro motociclista.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Últimas Notícias

Recomendado para você