Rio Branco, Acre,

Vídeo: ciclone destrói cidade africana onde igreja do Acre possui sede; pastores se mobilizam

Apenas neste domingo foi possível obter informações sobre os impactos causados pela tragédia

A cidade de Beira, localizada no centro de Moçambique, na África, onde a Igreja Batista do Bosque (IBB) tem sede, foi atingida pelo ciclone Idai, na noite da última quarta-feita (14). O cenário é de devastação e o número de mortos está estimado em 70 pessoas e cerca de 1.500 feridos, incluindo as vítimas também das cidades próximas, Dondo e Nacala.

Somente neste domingo (17) foi possível obter informações sobre os resultados da passagem do Idai pela região, com prejuízos para a rede de distribuição de energia elétrica e o sistema de comunicação: telefones, celulares e internet estão inacessíveis.

Rastros da destruição/Foto: cedida

Com sede em Beira, a IBB tem 71 igrejas em Moçambique, em uma das quais atua um casal de missionários da igreja do Acre. “Não sabemos ainda se nossa sede foi atingida, mas todos os missionários brasileiros estão bem, inclusive o casal de missionários da nossa Igreja, pastor Aymar e a sua esposa Márcia”, disse à reportagem o pastor Agostinho Gonçalves, líder da IBB.

Atualmente, na cidade da Beira, vivem mais de 50 missionários brasileiros com as famílias. “Não temos informações sobre como eles estão, mas sabemos que no momento precisam de tudo.”, relatou o pastor Sérgio Vilela, de Moçambique, mas está no Brasil. Ele conseguiu se comunicar com o país africano para obter as informações e repassá-las aos líderes da IBB no Acre.

Os ventos, relata ele, chegaram a 200 km por hora e o que se vê é desolador. Sendo Beira uma cidade costeira, as pessoas temem que seja tomada pelo mar. “A cidade está totalmente no escuro e também não tem água potável ou comida. As informações ainda são muito incertas, mas o que se sabe é que a destruição foi extrema, as poucas pessoas que estão na cidade e conseguiram comunicação, falaram que a cidade está vivendo um caos. A chuva que não para de cair agrava ainda mais a situação, pois o solo está saturado e não absorve mais a água. Grande parte da cidade está inundada, o que facilita a proliferação de doenças”, disse o pastor Sérgio Vilela.

Sem comunicação e em meio aos desabrigados, moradores carecem de água potável/Foto: reprodução

Os relatos dão conta ainda de que a cidade deve permanecer às escuras por pelo menos 15 dias porque todos os postes e cabos estão destruídos; o hospital central de Beira ficou sem cobertura; as barreiras entre a praia e residências e os muros de vedações estão ruídos; as avenidas, vias, ruas e estradas estão intransitáveis porque são muitas árvores caídas, telhados e outras coisas espalhadas pelo vento; quase todas casas de construção com material precário caíram ou perderam suas coberturas e as pessoas estão ao relento; no céu, as nuvens continuam carregadas ameaçando mais tempestade.

“Caso volte a chover, então a cidade já era e a qualquer momento pode ser engolida pelas águas do mar”, finaliza o relato.

“A qualquer momento pode ser engolida pelas águas do mar”, relata pastor acrano

Ajuda – A partir desta segunda-feira (17), a Igreja Batista do Bosque irá disponibilizar conta bancária e outras formas de coletar ajuda para enviar a Moçambique. “Começamos uma campanha hoje na IBB para ajudá-los na reconstrução das casas”, informou o pastor Agostinho que relatou a situação e deflagrou a arrecadação na noite deste domingo, durante culto na Catedral Batista do Bosque.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários