Rio Branco, Acre,


Arquitetas e influenciadores digitais dão 25 dicas para transformar a casa sozinho

Pesquisas na internet de "como reformar" dobraram, de março a junho deste ano, segundo o Google Trends

Se você foi uma dessas pessoas que quis transformar a casa durante a pandemia do novo coronavírus, o EXTRA tem uma boa notícia para você. Com a ajuda de arquitetas e influenciadores digitais, listamos 25 dicas para renovar os ambientes, gastanto pouco e com muita autonomia.

“Arquitetura e decoração muitas vezes são vistas como elitizadas, mas têm que ser popular porque fazem parte do nosso cotidiano. Cada vez mais, temos que deixar o pensamento estético mais acessível, porque isso também promove qualidade de vida”, avalia a arquiteta Stephanie Ribeiro, apresentadora do programa Decore-se, do canal GNT.

PUBLICIDADE

Antes de colocar a mão na massa, no entanto, as arquitetas Liz Marina Moreira e Ritiane Leme, do Estúdio Casa70, orientam providenciar materiais como trena, nível de mão, lápis, fita crepe e/ou fita dupla face de alta fixação, para garantir um bom acabamento na execução dos serviços.

Dicas da Stephanie Ribeiro, arquiteta e apresentadora do canal GNT

Urban Jungle – A tendência está muito em alta, até mesmo por conta da circulação restrita. As pessoas querem trazer o aconchego e o natural para dentro de casa, não só através das plantas, mas também em cores e texturas. Buscar materiais e cores que remetam à natureza, como a palha e tons de verde e terroso, ajudam nesta propósito.

Home office – Não há regra na hora de montar um ambiente. O home office de um DJ é completamente diferente de um home office de um escritor. Mas, para ter qualidade no trabalho, é bom observar qual cômodo tem incidência de luz, a menor quantidade de ruídos possível e uma boa circulação de ar, valorizando a ventilação cruzada.

Dicas do Matheus Ilt, influenciador digital e apresentador do canal GNT

Plantas – As plantas, que nossas mães e avós gostavam tanto, voltaram com tudo para dentro das casas. Sem ter um quintal, no entanto, é preciso adequar as escolhas conforme as condições de luminosidade que você tem. O pacová, a jibóia e a hera, por exemplo, se adaptam em ambientes internos.

Pintura setorizada – Caiu a ideia de que as paredes devem ser pintadas do chão ao teto. Pinturas de meia parede, geométricas (triângulo ou círculo, por exemplo) ou orgânicas (chamadas “amebas”, na internet) gastam menos tinta e renovam os ambientes.

Iluminação – Geralmente ligadas a lugares comerciais, como bancos, farmácias e escolas, as lâmpadas tubo de LED são mais barata, iluminam bastante e podem formar imagens de decoração para casa. Na parede, três delas podem formar um raio, por exemplo. Amarrada em um pedaço de madeira pode virar uma luminária de chão.

Dicas da Maddu Magalhães, do canal “Maddu Magalhães”

Novas cores – Para quem quer fazer pequenas interferências com cores diferentes nas paredes, uma dica é investir em um único galão de tinta branca e fazer cores adicionando pigmentos diferentes.

Caixas – Caixas de papelão comuns podem virar organizadores lindos para armários do quarto, banheiro ou lavanderia, por exemplo, se encampados com tecidos estampados por fora e forro de algodão cru por dentro. Use cola branca comum para encapar as caixas, como um caderno é encapado.

Móveis renovados – Nem sempre é necessário comprar novos móveis e objetos. Utilizando tinta esmalte à base de água é possível transformar um móvel de madeira escura em branco ou outra cor. Tinta spray também é ótima para mudar a cor de cadeiras ou pequenos móveis auxiliares como mesas de cabeceira ou vasos decorativos.

Almofadas – Para mudar o visual sofá da sala, fazer novas capas de almofadas é uma boa saída. Para quem não sabe costurar, comprar capas lisas, mais simples e baratas, e customizá-las também promete economia e personalidade.

Dicas do Estúdio Casa70, pelas arquitetas Liz Marina Moreira e Ritiane Leme

Estêncil – Para quem quer mudar paredes, há uma uma infinidade de estampas em estêncil disponíveis no mercado.

Paredes – Uma sugestão é pensar fora da caixa na hora de pendurar fotos e gravuras nas paredes. Vale cabide com prendedores, prancheta e até washi tapes, as fitas decoradas. Ainda dá pra se arriscar nos desenhos ou montar colagens super personalizadas, que ninguém terá igual.

Composições – Para fazer composição de quadros, teste antes no chão com a ajuda da trena e do nível de mão. Após aprová-la, reproduza as mesmas distancias e posições na parede.

Estantes – Na hora de organizar estantes e prateleiras, objetos de viagem ou com significado afetivo são trunfos. A dica é escolher uma lógica de exposição, que pode ser por cor, tamanho ou temas.

Organização – Ao escolher quais itens pessoais ficarão expostos e quais não, providencie caixas, cestos e porta trecos, que também completam a composição. Ajuste os volumes dando destaque para os preferidos e criando volumes simétricos ou assimétricos, afinal, vale tudo.

Acabamentos – Os rodatetos normalmente são em gesso. E as boiseries, molduras em alta para decorar paredes, em gesso, madeira ou polipropileno. Mas atualmente há no mercado opções em EVA autocolantes, que já vem com indicação de como cortar e aplicar sozinho.

Dicas do MAIS.Arqurb, pela arquiteta Maisa Santos

Cama – A composição desse item que ocupa a maior parte de um quarto, em geral, pode mudar a percepção de todo o ambiente, sem muitos gastos. A recomendação é escolher um jogo de cama básico, em tonalidades neutras, e inserir cobre leitos, mantas e almofadas de tamanhos e colorações variadas.

Mesa lateral – Uma mesa suspensa, presa ao teto, com um pedaço de madeira e corda sisal traz novidade e leveza para a lateral da cama.

Cabeceira – Para mudar, não é preciso comprar uma nova. É possível criar a impressão com uma pintura circular ou retangular na parede. Ou usar pallet ou tapeçaria. Os modelos almofadados podem ser feitos começando com um painel base (modulado), que pode ser em eucatex, acrílico ou madeira, no formato das composições desejadas, sejam quadrados, triângulos ou como escamas de peixe. Depois, a pessoa pode aplicar uma espuma, preferencialmente D27 ou D33, e revestir com o material ou tecido escolhido. Para prender, é bom marcar o lugar antes e utilizar grampeador de madeira (rocama) ou pregos.

Escritório – A cadeira deste ambiente precisa ser funcional e confortável, já que ela é usada para estudo e trabalho, mas pode também servir como objeto decorativo, dependendo de seu designer e de sua cor.

Identidade – A escolha de itens decorativos que remetam ao morador é uma forma interessante de repaginar o ambiente. Boas opções são emoldurar em quadros fotografias que ele mesmo tirou ou até usar objetos pessoais como raquetes, bicicletas, entre outros.

Dicas da Daniela Vasconcelos, do canal “Ricota não derrete”

Papel de parede – Com as opções de papel de parede auto adesivos, encontrados facilmente online a bons preços, fica fácil mudar uma parede, mesmo em imóveis que não podem ser pintados. E eles podem ser aplicados de uma forma nada tradicional em apenas parte da parede e recortados de forma assimétrica.

Adesivos – Também é possível customizar um ambiente com adesivos avulsos. Folhas de vinil autoadesivo em tons variados inspirada nas padronagens de granilite e marmorite. Sai por menos de R$ 50.

Reaproveitamento – Embalagens vazias que iriam para o lixo podem virar itens decorativos e até utilitários, como garrafas de vidro vazias com um pouco de cimento e um pedaço de papel autoadesivo. Ainda nessa proposta, uma lata de queijo do reino pode se transformar em dois cachepots suspensos, para abrigar as plantas. E latas de milho verde e ervilha pintadas e penduradas podem servir como porta-lápis.

Dicas da Karla Amadori, do canal “Diycore com Karla Amadori”

Outros olhar – Faça o exercício de tentar ver o que você já possui com outros olhos. Um banquinho velho que seria descartado, por exemplo, pode ser reformado, ganhar um novo tampo ou pé, e com isso até uma nova função, como mesa lateral.

Reaproveitamento – Tente sempre salvar o móvel, ainda que em parte. Um móvel de madeira desmontado pode virar nicho ou prateleira.

Posições – A troca de posições de itens decorativos pode mudar um ambiente. Por isso, inverter o tapete que fica na sala com o tapete que fica no quarto, se os tamanhos forem adequados, pode renovar a casa.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up