Rio Branco, Acre,


Pai que matou filho de 5 anos degolado no AC tem pedido de liberdade negado

Para Luana Campos, o crime praticado por Cristiano foi de extrema gravidade, contra uma criança de 5 anos

Cristiano Lima Arsênio, preso por matar o próprio filho de 5 anos, em Rio Branco, no último dia 13 de agosto, teve o pedido de liberdade provisória negado pela justiça nesta sexta-feira (4).

A decisão foi da Juíza Luana Campos, da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

PUBLICIDADE

SAIBA MAIS: Menino de 5 anos foi degolado pelo pai enquanto dormia; acusado entrou sorrindo na delegacia

O advogado do acusado argumentou que está ausente qualquer sustentáculo, ou seja, apoio, para decretação da prisão preventiva. Além disso, a defesa de Cristiano anexou aos autos, novos fatos, que segundo o advogado, confirmam que o preso sofre de transtorno mental.

Dia em que o crime aconteceu/Foto: Reprodução

No entanto, os argumentos não convenceram a juíza, que negou o pedido. Na decisão, a magistrada destacou que é necessária a manutenção da prisão preventiva para a garantia da ordem pública.

VEJA TAMBÉM: Durante interrogatório, pai que matou filho de 5 anos degolado diz que só Deus pode julgá-lo

Em outro trecho, a titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri escreveu: “Restou apurado que o acusado é viciado em drogas e durante seu período de abstinência pode ser perigoso, portanto, sua soltura colocaria em risco as pessoas próximas a ele, como ocorreu com o seu filho”, concluiu a juíza.

Para Luana Campos, o crime praticado por Cristiano foi de extrema gravidade, contra uma criança de 5 anos, que era seu filho.

O caso aconteceu no dia 13 do mês passado, na casa de Cristiano Arsênio, localizada na Travessa Lagoinha, no Bairro Bahia Nova.

AMEAÇA: Pai que matou o próprio filho de 5 anos tem morte decretada por facção

Segundo informações, a criança estava dormindo com o pai, quando ele levantou-se, foi à cozinha, pegou uma faca e degolou o próprio filho.

Depois, Cristiano saiu com uma bíblia em mãos e ouvindo um hino. Nas proximidades do Ceasa, ele ligou para um pastor e disse que estava precisando de ajuda. Quando o religioso chegou ao local, o acusado contou o que tinha acontecido. Cristiano foi levado para a Delegacia da 1ª Regional da Polícia Civil, onde recebeu voz de prisão. A previsão é que o inquérito do caso seja finalizado nos próximos dias.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up