Rio Branco, Acre,


TRE sugere 13 e 27 de dezembro como novas datas para eleição em Macapá

Pleito foi adiado por causa do apagão que assola a capital do Amapá há mais de uma semana

Após adiamento da eleição municipal em Macapá, o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) escolheu 13 de dezembro como nova data para a realização do pleito. O segundo turno, se houver, será em 27 de dezembro. As datas ainda precisam ser avaliadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas a expectativa é que sejam referendadas pela corte superior.

Durante sessão administrativa do TRE-AP na noite desta sexta-feira, o presidente da corte, Rommel Araújo, afirmou que as novas datas foram definidas, em conjunto, com a equipe de tecnologia da informação do Tribunal Superior Eleitoral para ajustar questões técnicas e garantir a viabilidade do pleito.

— Em razão do adiamento das eleições (em Macapá) acolhido pelo Tribunal Superior Eleitoral, a corte superior nos deixou a cargo da escolha das novas datas. Em razão disso, a equipe técnica e a diretoria geral do TRE entrou em contato com o TSE, em especial a equipe técnica de TI (Tecnologia da Informação) (…) A data que seria mais segura seria o primeiro turno em 13 de dezembro e o segundo turno em 27 de dezembro. Essas são as datas mais seguras que levam em consideração os sistemas de informática (das cortes) – disse o presidente do TRE-AP.

Na última quarta-feira, o TSE determinou o adiamento da eleição em Macapá, que ocorreria no próximo domingo, “até o restabelecimento regular da energia elétrica. A decisão atendeu a um pedido feito pela Justiça Eleitoral do Estado. O apagão, que atingiu 13 dos 16 municípios do Amapá, já dura mais de 10 dias e o fornecimento de energia funciona por sistema de rodízio desde sábado.

Segundo pesquisa Ibope divulgada há dois dias, o empresário Josiel Alcolumbre (DEM) lidera as intenções de voto, com 26%; seguido por Patricia Ferraz (Podemos), 18%; Dr Furlan (Cidadania), 17%; e João Capiberibe (PSB), 13%. Na última pesquisa, Josiel registrava 36% das intenções de voto. Ele caiu nove pontos percentuais depois da crise.

Adversários políticos da família do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), irmão de Josiel, questionaram o motivo do adiamento da votação ter sido determinado apenas em Macapá. Eles alegam que outros 12 municípios também sofrem com os efeitos do apagão, mas tiveram as eleições mantidas.

Em vídeo divulgado nas redes sociais, na quinta-feira, o candidato João Capiberibe (PSB), que aparece em quarto lugar na pesquisa Ibope, acusou o presidente do Senado de ter ligado para o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, pedindo a mudança na data da votação apenas em Macapá com o intuito de favorecer o irmão.

– Isso é um fato muito estranho porque são 13 municípios do estado submetidos ao apagão e ao racionamento da energia elétrica… Muito estranho é que apenas o município de quem concorre com o irmão do presidente do Senado tenha a sua eleição adiada – disse o ex-senador.

Ao pedir o adiamento ao TSE, a Justiça Eleitoral do estado disse que foi informada pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência), pelo Exército e pela PRF (Polícia Rodoviária Federal) que algumas ações de vandalismo estariam sendo coordenadas por membros de facções criminosas. No restante do estado, o TRE considera que há aparato policial suficiente para manter a ordem. [Capa: Reprodução/G1]

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up