Rio Branco, Acre,


Infectologista, deputado Jenilson diz que decreto é necessário para evitar mais mortes

"Só em janeiro foram 6 mil novos casos e 72 óbitos", diz o deputado

O deputado Jenilson Leite (PSB) usou seu tempo durante sessão ordinária realizada na manhã desta terça-feira (02), para falar sobre o Decreto n° 7.849, emitido pelo governo na noite de ontem, que classifica todo o Estado como bandeira vermelha em relação a pandemia do coronavírus. O parlamentar disse que concorda com a medida, mas que a mesma poderia ter sido evitada caso ações mais contundentes tivessem sido tomadas antes.

“Não discordo da decisão do governo em tomar essas medidas, que de certo modo irão proteger a vida e cuidar das pessoas, para que atravessem esse momento difícil com o mínimo de óbitos possível. Só em janeiro foram 6 mil novos casos e 72 óbitos. Não podemos nos habituar a ver as pessoas morrerem e nada ser feito. Diante do caos anunciado, até considero que a discussão sobre o assunto foi tardia”, pontuou.

Jenilson Leite disse ainda que o governo não pode se limitar a atuar somente no setor terapêutico, mas deve ser também incisivo no preventivo. Ele criticou o fato de que servidores da Saúde atuam incansavelmente no Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre, enquanto pedestres passeiam sem máscara na praça do Lago do Amor.

“Os servidores da Saúde se sacrificam ali no Into, por exemplo, e quando saímos de lá, no Lago do Amor, ninguém usando máscara. As novas medidas decretadas de certo modo irão evitar mais mortes. Se muitos entrassem nos hospitais e vissem o que está acontecendo, iriam perceber que a situação de primeira ordem precisa ser evitar que mais pessoas morram, algo que está acontecendo todos os dias. O governo não está errado nesse sentido, vai sim causar impacto na economia e isso poderia ter sido cuidado antes, mas infelizmente é o necessário”, finalizou.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up