Rio Branco, Acre,


Mulher que pulou do 1º andar de prédio para não ser estuprada diz que perdeu movimento das pernas

Cabeleireira diz que médicos ainda não sabem se ela conseguirá voltar a andar

A cabeleireira que pulou do primeiro andar de um salão de beleza em Goiânia para não ser estuprada por um ladrão disse nesta sexta-feira (5) que não sente o movimento das pernas. Juliane Lacerda Lima, de 36 anos, está internada no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde passou por uma cirurgia na coluna e aguarda um posicionamento dos médicos para saber se conseguirá andar novamente.

O assaltante fugiu em uma bicicleta e ainda não foi localizado. Um vídeo mostra quando a mulher se joga do 1º andar e cai na calçada.

“Foi a única alternativa que eu tinha. Ele já tinha tirado a roupa da minha funcionária e mandou a gente subir para o outro andar. Quando eu subi, já veio na minha cabeça que eu não poderia deixá-lo fazer mal a mim nem para ela. O que eu pensei foi em pular e pedir socorro. Para nos salvar, eu faria de novo”, afirmou.

O caso aconteceu no último dia 29 de janeiro, quando ela foi socorrida e levada ao Hugo. Três dias depois, ela passou pela cirurgia na coluna. De acordo com a cabeleireira, os médicos da unidade de saúde disseram que, por enquanto, não podem afirmar se ela irá voltar a andar, pois depende, entre outros fatores, do período de fisioterapia e da recuperação que terá após a operação.

Em nota enviada ao G1, o hospital informou que a “paciente segue em recuperação pós-operatória em leito de enfermaria, consciente e com respiração espontânea, com estado geral de saúde estável”. O Hugo afirmou ainda que não pode divulgar dados sobre o tratamento da paciente.

Assalto e estupro

O salão de Juliane fica no Setor Parque Oeste Industrial. Ela contou que o assaltante chegou ao local, pouco antes das 11h do dia 29 de janeiro, usando capuz, máscara e óculos.

De acordo com ela, o criminoso anunciou o assalto, pegou o dinheiro que estava no caixa e os celulares dela e de uma funcionária. Logo depois, segundo a cabeleireira, ele ordenou que elas tirassem a roupa.

“Ele mandou a gente subir para o primeiro andar. Quando eu cheguei lá em cima, eu vi que a porta da sacada estava aberta e pulei. Quando eu caí, eu já comecei a gritar socorro muito alto”, explicou.

A funcionária, que não quis ser identificada, contou que o criminoso tirou a roupa dela antes de a patroa pular. Segundo ela, ao perceber que Juliana tinha escapado, o homem se assustou, pegou os celulares e fugiu em uma bicicleta. Durante a fuga, ele deixou os celulares delas e o próprio telefone cair no chão.

A delegada Cássia Sertão, que investiga o caso, pede ajuda da população para tentar identificar o criminoso: “Caso alguém o reconheça ou saiba do paradeiro desse criminoso, entre em contato com a Delegacia Especializada no Atendimento (Deam) da região noroeste de Goiânia”.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up