20.3 C
Rio Branco
2 agosto 2021 2:19 am
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Embriagado, caminhoneiro causa acidente na BR-163 em Campo Grande

Motorista reprova no bafômetro e é preso por embriaguez

POR LÚCIO BORGES ORTEGA - CORRESPONDENTE MS

CAMPO GRANDE (MS) – Apesar de ser motorista ‘profissional’ e em em plena manhã de uma segunda-feira (14), um caminhoneiro estava praticamente embriagado e foi preso em Campo Grande, após tombar o caminhão que conduzia no anel viário da BR-163, entre as saídas de São Paulo e Três Lagoas. A condição bêbada deve ter contribuído para o acidente, que prejudicou o trânsito no local e quase provoca uma tragédia em trecho movimentado e até urbano da rodovia na Capital.

Contudo, o motorista de 32 anos não sofreu ferimentos e passa bem, mas foi para a cadeia, pois o bafômetro foi realizado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), acusou alto teor alcoólico não permitida na corrente sanguínea. O homem foi detido e encaminhado à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac/Cepol), onde será feito Boletim de Ocorrência.

“O motorista estava sob efeito de 0,78 miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões, mais do que o dobro do limite que define quem vai preso ou é somente autuado – 0,30 miligramas”, relatou a PRF.

Ele teria perdido o controle da direção, atingido o guard-rail e ainda andado por 50 metros até tombar. O caminhão ficou atravessado em duas pistas, causando transito lento no local, porque motoristas que estão em direção à Capital precisam fazer desvio. A CCR MSVia está no local para orientar o trânsito. Pó de serra foi jogado na pista para evitar acidentes com o óleo derramado.

Óleo na pista e em córrego

A carreta vinha de Rondonópolis e estava carregada com 31 toneladas de óleo de soja, no qual acabou espalhada pela via, além de derramamento de combustível desencadeando um congestionamento nas proximidades do condomínio Damha.

Como medida de segurança, foi espalhado pela faixa de rolamento, pó de serra e areia, devido ao óleo e combustível derramado.

Ainda segundo informações, o Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), poderá multar a empresa por contaminação do solo, pelo derrame de 400 litros de óleo do tanque, que acabou atingindo um córrego nas proximidades do local

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.