19.3 C
Rio Branco
22 julho, 2021 1:17 am

Estiagem no AC: especialista orienta sobre cuidados para evitar doenças por mudanças climáticas

De acordo com o médico imunologista Guilherme Pulici, durante o período seco e com a chegada de frentes frias, os vírus respiratórios se propagam com mais facilidade

POR MARIA FERNANDA ARIVAL, PARA CONTILNET

Fumaça, baixa umidade do ar e tempo seco são características do período de estiagem que os acreanos vivem anualmente, entre os meses de julho e setembro. Nessa época, os desconfortos em decorrência do tempo podem se tornar problemas de saúde, como gripes, irritações nos olhos e até infartos ou aumento na transmissão de Covid-19.

De acordo com o médico imunologista Guilherme Pulici, durante o período seco e com a chegada de frentes frias, os vírus respiratórios se propagam com mais facilidade, como os vírus da influenza, vírus sincicial respiratório (VSR), que acomete principalmente idosos e crianças, e há possibilidades de facilitamento de transmissão do coronavírus.

“Os cuidados para evitar adoecimento por mudanças climáticas são aqueles tradicionais: evitar exposição ao sol no meio do dia, pois a umidade relativa do ar fica mais baixa e o calor mais intenso; procurar fazer atividades físicas no início da manhã ou final da tarde, de preferência em lugares abertos e com sombras, como o Horto Florestal em Rio Branco; beber bastante líquido para manter-se hidratado, além de manter a hidratação da pele e proteção solar”, afirma.

Médico imunologista Guilherme Pulici dá dicas para o período de estiagem/ Foto: divulgação Sindmed/AC

A atenção com os olhos deve ser redobrada, pois com as fumaças, a incidência de procura por atendimentos dessa natureza aumentam e muitos pacientes podem sofrer com irritação ocular nesse período do ano. Para os pacientes portadores de doenças respiratórias, é ideal que busquem o médico para ajustar o tratamento de manutenção.

“Quem tem asma, por exemplo, deve procurar o especialista que faz o seu tratamento regularmente para pequenos ajustes, considerando a pandemia em andamento”, explica.

Apesar de não haver estudos que comprovem a eficácia do uso de umidificadores de ar, há especialistas que recomendam a utilização em tempos secos e frios, pois podem auxiliar na diminuição do ressecamento da mucosa nasal para pessoas que sofrem com diversos tipos de rinite. “Facilita com a respiração pelo nariz, que funciona como um filtro, uma vez que uma pessoa com o nariz comprometido pode respirar um ar sujo, seco e frio que predispõe irritação nos brônquios e nos pulmões”.

“Cuidado com a fumaça!”

A fumaça tem maior impacto nas vias respiratórias, mas também sob a pele e nos olhos. “Alguns órgãos que parecem não ter relação, podem ser acometidos. Existem estudos que comprovam que a incidência de infarto agudo do miocárdio e problemas renais podem aumentar nessa época, em decorrência da inalação de produtos tóxicos da fumaça. Proteger-se da fumaça, é proteger, na verdade, todo o corpo”.

Queimadas no Acre é um problema enfrentado anualmente/Foto: Marcus Vicentti

Imunização contra o vírus da gripe

A vacina contra a influenza já está disponível pelo Ministério da Saúde para crianças de até 5 anos, idosos e portadores de doenças crônicas nos postos de saúde. Por enquanto, não há disponibilidade para vacinação para adultos, mas na rede privada de saúde, os adultos podem procurar clínicas que disponibilizam a vacina.

“Eu recomendo a imunização, considerando a pandemia, proteger-se da influenza é importante, pois o quadro clínico de gripe é parecido com o de Covid-19 e ajudaria os profissionais da saúde a eliminar essa possibilidade de diagnóstico”, explica o especialista.

Covid-19

Mesmo com a vacinação, a população deve continuar tomando os cuidados recomendados pelos órgãos nacionais e internacionais de saúde para evitar contaminações neste período em que o vírus pode circular com mais facilidade.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.