24.3 C
Rio Branco
28 setembro 2021 2:28 am

Após Câmara dar parecer sobre pedido de impeachment de Bocalom, jornalista diz que ação ‘cheira a extorsão’

"Oposição ao prefeito é salutar, mas pleitear seu impedimento me cheira à extorsão", finalizou

POR EVERTON DAMASCENO, DO CONTILNET

Última atualização em 28/08/2021 14:47

O ex-deputado e jornalista Luiz Calixto criticou neste sábado (28) o pedido de impeachment protocolado na Câmara Municipal de Rio Branco contra o prefeito Tião Bocalom.

A ação é de autoria da ativista e advogada Joana D’arc Valente Santana e deve ser colocada em pauta na próxima terça-feira (31), de acordo com o presidente do parlamento mirim, vereador N. Lima.

Pode ser uma imagem de 1 pessoa e sorrindo
Luiz disse que o pedido cheia a extorsão/Foto: Reprodução

Calixto argumentou que o pedido é “uma verdadeira ideia de jerico”.

“Esse pedido de impeachment do prefeito Tião Bocalom é uma verdadeira ideia de jerico. Não não há menor fundamento que justifique essa intenção”, escreveu o jornalista.

Mesmo defendendo a importância da oposição contra o progressista, que está em seu primeiro ano de mandato à frente do executivo municipal, Luiz acredita que pleitear o impedimento do prefeito “cheira a extorsão”.

“Oposição ao prefeito é salutar, mas pleitear seu impedimento me cheira a extorsão”, finalizou.

Ainda nesta semana, a Procuradoria Geral da Câmara emitiu um parecer dizendo que a denúncia feita por Joana D’arc contra Bocalom atende aos requisitos formais, mas apontou que o julgamento sobre crime de responsabilidade é de competência do Tribunal de Justiça (TJAC) e não do legislativo.

No documento enviado pela advogada à Camara constam outros supostos crimes e denúncias.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.