34.3 C
Rio Branco
28 setembro 2021 6:05 pm

Morre aos 87 anos dona Lourdes, mãe do jornalista Jairo Carioca: ‘Vai com Deus, minha mãe guerreira’

POR REDAÇÃO CONTILNET

Última atualização em 10/09/2021 08:38

Morreu, na madrugada desta sexta-feira (10), a senhora Maria de Lourdes da Silva Carioca, aos 87 anos. Ela estava internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Idoso, em Rio Branco.

O comunicado foi feito pelo filho, o jornalista Jairo Carioca, que escreveu: “Vai com Deus, minha mãe guerreira, para os braços do Pai Celestial. O velho Carioca deve estar em festa te esperando para dar um forte abraço de reencontro. A lembrança que fica são essas de nossas caminhadas. Tu és nossa mãe eternamente”.

Dona Lourdes ao lado do filho, o jornalista Jairo Carioca/Foto: Reprodução

Dona Maria de Lourdes foi acometida de um mal estar no final do mês de agosto e, de lá para cá, esteve internada apresentando melhora ao longo dos dias, mas não resistiu e faleceu nesta sexta-feira.

O Corpo está sendo velado no Centro de Iluminação Cristã Luz Universal Alto Santo, na Estrada Raimundo Irineu Serra e o sepultamento ocorrerá no sábado (11), às 7 horas, no cemitério da comunidade.

Dona Lourdes deixou importante legado

Membro da Doutrina do Daime há 63 anos, ela fundou em 1989 a Associação de Moradores da Vila Raimundo Irineu Serra, fortalecendo o movimento comunitário da região.

Natural de Macau, no Rio Grande do Norte, dona Lourdes incentivou a introdução da musicalidade dos hinos da doutrina fundada pelo Mestre Irineu. Recebeu das mãos dele o primeiro violão, formando ao lado de madrinha Peregrina e outros irmãos, a primeira equipe de músicos.

Membro da Comissão de Cura da Doutrina, prestou relevantes serviços, ajudando nas ações de assistência espiritual.

Como líder comunitária, levou com apoio da prefeitura de Rio Branco e o Governo do Estado, a iluminação pública para a região, estrada, transporte coletivo e outras ações que estimularam a união dos moradores.

Ela integra a história de migração dos nordestinos para o Acre. Veio com a família, em 1944, de Navio para a Amazônia, passando a residir a partir desta data em Rio Branco.

Na capital conheceu Julio Chaves Carioca, com quem casou em 22 de fevereiro de 1950, formando a conhecida família Carioca.

Fez Bodas de Ouro de casamento no ano de 2000. Deixa 30 netos, 40 bisnetos e 2 tataranetos. (Informações do Acre News)

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.