26.3 C
Rio Branco
26 novembro 2021 3:18 pm

Vídeo: Em meio a protestos, bolivianos registram desfiles de tanque em Santa Cruz de La Sierra

Na Bolívia, que faz fronteira com o estado do Acre, ocorrem manifestações contra lei que prevê fiscalização do patrimônio particular sem autorização judicial.

POR RENATO MENEZES, PARA CONTILNET

Última atualização em 13/11/2021 09:44

A situação na Bolívia, país que faz fronteira com o Acre, está cada vez mais complexa. Os bolivianos, que estão fazendo manifestações há quase uma semana em decorrência de um pacote de leis referente à lavagem de dinheiro, foram surpreendidos na noite da última sexta-feira (12), com um desfile de tanques.

No vídeo que o ContilNet teve acesso, um dos manifestantes fala, em espanhol: “Cómo desbloquear El Trompillo? Acaba locando com tanque loco”, se referindo ao Aeroporto El Trompillo, localizado em Santa Cruz de La Sierra, local onde os moradores viram os tanques circulando nas ruas em direção ao aeroporto.

Durante o período de manifestações, que seguem acontecendo em território vizinho, houve violência e repressão por parte do governo em diversas cidades, com registros de mortes, feridos e detidos por militares aliados ao presidente da Bolívia Luis Arce.

O povo reivindica, por sua vez, a Lei de nº 1.386, aprovada em agosto deste ano, conhecidas por “Ley Madre”, sancionadas por Arce, que criminaliza o trabalho informal e atenta os bens privados dos bolivianos, permitindo o governo de investigar o patrimônio de qualquer cidadão sem precisar de ordem judicial. Além disto, ainda prevê que jornalistas, por exemplo, revelem fontes sob sigilo.

É importante destacar que a Bolívia é um dos países mais pobres da América Latina, com altas taxas de analfabetismo (15% da população não sabe ler e/ou escrever) e com o terceiro menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) na América do Sul. Por conta disto, é comum que haja um grande número de pessoas que trabalham de forma informal para prover o sustento.

Com relação às manifestações, Luiz Arce falou que querem derrubar seu governo. “Devemos defender o voto do povo boliviano, que disse nas urnas que temos que governar”, falou em cerimônia a apoiadores.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.