25.3 C
Rio Branco
17 janeiro 2022 6:10 pm

Caso tenebroso de cirurgião esquartejador vira livro e série. Relembre

POR METRÓPOLES

Última atualização em 06/12/2021 12:45

Um dos crimes que mais chocaram o país pode ter sido inspirado em outro episódio cruel. O caso do cirurgião plástico Farah Jorge Farah – que assassinou em 2003 sua ex-amante e paciente e depois esquartejou o corpo – muito se assemelha ao “crime da mala”, ocorrido em 1908.

Essa curiosidade foi levantada pela jornalista Patrícia Hargreaves, que passou quase dois anos pesquisando o caso bárbaro que levou Maria do Carmo Alves à morte em São Paulo. Em seu livro recém-lançado, O Médico que Virou Monstro, a autora conta as histórias por trás do caso.

Para ela, uma das descobertas mais chocantes é a semelhança com este outro caso: “Em 1908, um libanês chamado Michel Trad matou e esquartejou seu sócio, o comerciante sírio Elias Farhat, por ter um caso com sua mulher. Ele chegou a tentar embarcar em um navio com partes do corpo do homem em uma mala, de onde veio o nome do crime, mas acabou pego”, conta.

Leia mais em Metrópoles.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.