37.4 C
Rio Branco
13 agosto 2022 2:51 pm

Ataque do Hamas e ameaças da Rússia contra Israel

POR EZIO GAMA, PARA CONTILNET

Última atualização em 26/06/2022 09:05

Que Israel como nação tem poucos amigos, isso a história claramente nos mostra. Agora, que tem muitos inimigos, isso nem precisaria relatar. Basta olhar primeiro para a região onde está localizado, depois, para seus vizinhos.

Considerada a maior democracia no Oriente Médio, Israel vive em constantes conflitos e ataques. Em todo o período de suas festas, desde maço/abril de 2022, Israel vem sofrendo ataques. A organização terrorista Hamas, que defende a Faixa de Gaza, atacou novamente, agora com um foguete. Israel respondeu interceptando o foguete e atacando vários alvos terroristas e bases na Palestina.

Somado a isso, a Rússia resolve preparar uma resolução da ONU condenando Israel por ataque ao Aeroporto de Damasco. Isso aconteceu em junho de 2022. Após um ataque da Síria na fronteira de Israel, o exército israelense atacou bases terroristas e afetou a operação russa no país.

Durante a guerra da Rússia contra a Ucrânia, Vladimir Putin recebeu a visita do Primeiro-Ministro Naftali Bennett e Israel ficou cotado como um dos possíveis mediadores do conflito. Não se concretizou. Agora, Israel sofre ameaças russas por contra-atacar a Síria e bases do Hezbollah na região.

Outro fator importante é evitar confrontos diretos com a Rússia. Há muitos ucranianos de ascendência judaica na Ucrânia, assim como, tanto ucranianos, quanto russos em Israel, que são também eleitores.

Israel operou fortemente na Síria nos últimos anos contra as milícias apoiadas pelo Irã, incluindo o Hezbollah e com certo apoio da Rússia. No entanto, precisa fazer um grande exercício de equilíbrio nas relações com a Rússia, tanto em relação à Síria, quanto em relação à Ucrânia.

Contudo, Bennett tem a tarefa de manter a aliança com seu maior parceiro e aliado, os Estados Unidos, que desde sua criação em 1948 recebe de Washington um extenso apoio financeiro, que perdura até hoje.

Israel criticou a invasão da Ucrânia pela Rússia, embora d­e maneira tímida, não como o fizeram outros países. O grande desafio de Israel agora é se irá se manter mais cauteloso ou mais contundente em relação à Rússia diante da extensão da guerra na Ucrânia.

Agora, só não está ainda declarada uma oposição frontal russa contra Israel. É questão de tempo. Uma guerra de cada vez.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.