32.3 C
Rio Branco
9 agosto 2022 5:48 pm

Fieac: 34 anos de luta e investimentos pelo desenvolvimento do Estado

Todas as conquistas, segundo o empresário, só são possíveis em virtude da maturidade e diálogo que a FIEAC tem mantido com diferentes instituições públicas e privadas

POR ASCOM

Última atualização em 07/07/2022 09:36

Em 7 de julho de 1988, nascia no Acre uma entidade de grau superior representativa da indústria acreana para defender os interesses desse segmento empresarial, a FIEAC. Desde então, com atuação séria e afinco, a Federação das Indústrias do Estado do Acre se tornou referência na busca de soluções para melhoria do ambiente de negócios e aumento da competitividade da indústria local.

E, com a certeza de que vem protagonizando um importante trabalho, a FIEAC celebra, nesta quinta-feira, 7 de julho, 34 anos de atuação. Nos últimos anos, sobretudo, a instituição tem obtido conquistas relevantes em prol do setor industrial e que também resulta em melhorias para toda a sociedade acreana.

O presidente da FIEAC em exercício, João Paulo de Assis Pereira/Foto: Reprodução

O presidente da FIEAC em exercício, João Paulo de Assis Pereira, enumera alguns dos avanços mais recentes que, com atuação decisiva da Federação das Indústrias, por meio do movimento ‘Reage, Indústria’, tem dado novo fôlego a todo o setor produtivo acreano. “Para a construção civil, por exemplo, que movimenta diversos outros setores, conseguimos consolidar, juntamente com o Governo do Estado, o Programa de Estímulo à Construção Civil (PEC/GER), que tem dado prioridade à contratação de indústrias locais para realizar obras públicas de pequeno porte”, destaca.

Outro programa em parceria com o governo que teve ampliação foi o de Compras Governamentais. Antes restrito ao setor moveleiro, o Comprac foi ampliado recentemente para o ramo de confecções, proporcionando que todo o fardamento escolar da rede pública estadual seja comprado diretamente das malharias acreanas. “Um investimento importante para a nossa indústria de confecção e estamos trabalhando também para incluir o setor gráfico, de alimentos e outros nas Compras Governamentais. O governo tem atendido demandas da classe industrial e somos muito gratos por isso”, ressalta João Paulo.

FIEAC tem mantido diálogo importante com a prefeitura de Rio Branco/Foto: Reprodução

Nesta semana, foi a vez da Prefeitura da capital atender mais uma pauta da indústria acreana, quando o prefeito Tião Bocalom assinou, na quarta-feira, 6 de julho, o decreto que regulamenta a Lei nº 2.027, instituindo o Programa de Compras Municipalizadas com Incentivos à Indústria Local, no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Município de Rio Branco. “A gestão do prefeito Bocalom tem dialogado e sido sensível às necessidades da classe empresarial, que ainda se recupera dos prejuízos da pandemia. Conseguimos a isenção de IPTU para indústrias, prioridade à vacinação da nossa força de trabalho, entre outras demandas relevantes”, pontua o presidente da FIEAC em exercício.

Todas as conquistas, segundo o empresário, só são possíveis em virtude da maturidade e diálogo que a FIEAC tem mantido com diferentes instituições públicas e privadas. “A gestão do presidente licenciado, José Adriano, tem sido marcada justamente pela construção de parcerias e por não medir esforços para fazer com que a Federação das Indústrias auxilie de alguma em tudo que for viável com o único propósito de desenvolver o nosso estado, pois isso é essencial para proporcionar melhores condições de vida para os acreanos”, acentua.

AUMENTO DA BASE SINDICAL

A atuação da FIEAC em defesa dos interesses da indústria e do aumento da competitividade do setor tem sido reconhecida por empresários. Isso fica comprovado com o aumento da base sindical da Federação das Indústrias. Em março deste ano, foi oficializado o ingresso do Sindicato das Indústrias de Frigoríficos e Matadouros do Estado do Acre (Sindicarnes/AC) ao rol das 10 entidades precedentes (Sinduscon, Sincepav, Sindusmad, Sinpal, Sindigraf, Sindicer, Sindpan, Sindmóveis, Sincon e Sindmineral).

“Temos também o Sindicato das Indústrias de Sorvetes (SindSorvetes) e o das Empresas de Ar Condicionado e Refrigeração (Sinear) que estão nos trâmites burocráticos para tentar filiação à Federação das Indústrias. Isso reforça que temos feito um trabalho sério e que tem sido bem avaliado. Esse aumento da base sindical também nos deixa otimistas e felizes por vermos que o associativismo, algo tão essencial para a classe empresarial, tem sido cada vez mais fortalecido em nosso estado”, acrescenta o presidente da FIEAC em exercício.

EXPECTATIVAS PARA O FUTURO

O empresário salienta, ainda, que a FIEAC tem se preparado para os novos desafios, em especial no que diz respeito à inserção de novas tecnologias que proporcionem melhoria na atuação da classe industrial acreana. Ele cita um importante investimento que tem sido feito nesse segmento.

“O Instituto SENAI de Tecnologia tem dado passos importantes nessa área e está desenvolvendo o Hub SENAI de Inovação e Tecnologia, previsto para ser inaugurado no início de 2023. A proposta é de fortalecer o ecossistema de inovação acreano, gerando novas oportunidades de negócios e contribuindo para o aumento da competitividade das empresas locais”, detalha João Paulo.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.