31.3 C
Rio Branco
7 agosto 2022 7:31 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Nó de aliança entre PSB e PT é desatado em São Paulo e pode refletir no Acre

POR EVERTON DAMASCENO, DO CONTILNET

Desatou

Até esta sexta-feira (8), São Paulo era o estado em que uma aliança entre PT e PSB mais apresentava dificuldade de se concretizar. Tudo mudou com a desistência de Márcio França (PSB) de disputar o Governo paulista para apoiar Fenrnando Haddad (PT). A decisão foi anunciada hoje por França. A expectativa é que amanhã, em um evento com Lula e Alckmin, ele seja anunciado como pré-candidato ao Senado na chapa de Haddad.

Melou

Apesar de nacionalmente a aliança já estar formada, com Lula (PT) disputando à Presidência e Alckmin (PSB) a vice, faltam ajustes locais. São Paulo era o mais complexo deles, mas já foi resolvido. O Acre é um dos últimos estados em que a situação ainda não está definida entre os partidos. Depois de uma aproximação e uma aliança praticamente sacramentada entre as siglas, uma especulação de que o ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre (PT), poderia disputar o Governo, melou tudo.

Acre

No entanto, esse gesto do PSB de abrir para o PT no maior colégio eleitoral do país, dá aos socilistas a chance de voltar a mesa de negociações e exigir a cabeça da chapa no Acre. O pré-candidato do PSB ao Governo do Acre, o médico Jenilson Leite, havia dado um prazo ao PT até o fim desta semana para resolver o imbróglio. Com esse novo elemento em jogo, é provável que ele estique um pouco mais essa decisão.

Demissões

Eu nunca entendi muito bem o estardalhaço que fazem quando um chefe de Executivo decide demitir ex-aliados de cargos em comissão, ou seja, cargos de confiança. Se não faz mais parte do grupo político, se não acredita mais no projeto, porque tem que continuar fazendo parte da estrutura? Cargo de confiança deve ser ocupado por quem acredita no projeto vigente, mas, claro, é preciso ter em mente um critério técnico. Não dá pra colocar qualquer um só porque é aliado.

Prazo

Vale lembrar, no entanto, que desde o último dia 2 deste mês estão vedadas contratações e demissões sem justa causa de servidores e cargos comissionados. Mas existe uma brecha, o uso de datas retroativas (antes do dia 2) para que essas nomeações e desligamentos continuem acontecendo.

Dom e Bruno

A Polícia Federal prendeu hoje o peruano Rubens Villar Coelho, suspeito de envolvimento nas mortes do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira. Conhecido como ‘Colômbia’, Rubens já era investigado pela PF e foi preso portando documentos falsos. Ele seria chefe de Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como Pelado, um dos autores dos disparos, que já está preso. Esse crime é o retrato da tragédia que se transformou a Amazônia brasileira.

Derrota

O que deveria ser o maior trunfo de Bolsonaro (PL) na tentativa de garantir sua reeleição, a ‘PEC das Bondades’ teve sua votação adiada. A PEC deveria ter sido votada ontem, mas devido ao baixo quórum na Câmara Federal, só deve voltar a pauta na próxima terça-feira (12). Uma derrota para o presidente e seus aliados, que colocaram todas as suas fichas nessa PEC.

Risco

O deputado Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, decidiu por adiar a votação da PEC por acreditar que havia risco de a proposta ser rejeitada, caso fosse analisada ontem. Uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) precisa de, no mínimo, 308 votos para ser aprovada na Câmara, e em dois turnos. A questão é que durante a sessão de ontem, entrou em votação um requerimento de encerramento de discussão, que é um artefato usado para acelerar a análise de projetos, e foi aprovado com apenas 303 votos. Diante do resultado, Lira entendeu que o placar poderia se repetir e a PEC ser rejeitada.

PEC

A ‘PEC das bondades’, como ficou conhecida a proposta, vai permitir o aumento do auxílio-gás para R$ 120 e do Auxílio Brasil para R$ 600 até o fim do ano, voucher-caminhoneiro de R$ 1.000, auxílio taxistas, entre outras medidadas. E tudo isso a menos de 3 meses do pleito eleitoral.

Ciro

O pré-candidato à Presidência da República pelo PDT, o ex-ministro Ciro Gomes, quer oficializar sua candidatura no dia 20 de julho, durante a convenção nacional do partido, que vai ocorrer em Brasília. Ciro tem aparecido em todas as pesquisas até aqui em 3º lugar, porém, com números bem abaixos dos dois principais postulantes: Lula e Bolsonaro.

Moro x SP

Quem achou que Moro não seria candidato em São Paulo, se enganou. Mas calma, não se trata do ex-juiz Sergio Moro, e sim da sua esposa, Rosângela Moro. O casal havia mudado o domicílio eleitoral do Paraná para São Paulo, mas só a mudança do ex-ministro foi barrada pela Justiça Eleitoral. Filiada ao União Brasil, assim como o esposo, Rosângela vai disputar uma vaga de deputada federal por São Paulo. Já Sérgio Moro ainda não se decidiu se disputa o Governo ou o Senado pelo Paraná.

Marfisa

A vice-prefeita e secretária de Assistência Social de Rio Branco, Marfisa Galvão, esteve ontem na sede do ContilNet e foi um show de simpatia. Galvão foi entrevistada pela jornalista Nany Damasceno e falou sobre sua gestão à frente da Assistência Social, das atividades de vice-prefeita e de política. A entrevista vai ao ar neste domingo (10).

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.