22.3 C
Rio Branco
7 agosto 2022 9:30 am

Concurso Anvisa: novo edital é urgente, defende diretor

Em recente entrevista, diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária defende a urgência de um novo concurso Anvisa

POR FOLHA DIRIGIDA

Última atualização em 01/08/2022 10:51

A realização de um novo concurso Anvisa é urgente, segundo o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Antonio Barra Torres. Em recente entrevista ao O Globo, o chefe da agência falou sobre a necessidade de servidores.

Segundo ele, a deficiência de pessoal tem gerado preocupação, tendo a necessidade já apontada, mais de uma vez, ao Ministério da Economia, pasta responsável pela autorização dos editais.

“A Anvisa protege a saúde do cidadão e regula quase um quarto do PIB brasileiro. Para ser feito, o trabalho requer trabalhadores em número adequado. Se esse quantitativo não for ampliado, se não houver urgente concurso público, tanto essa proteção quanto a regulação serão ineficazes, insuficientes. Hoje, na Anvisa, não há. Simples assim”, disse o diretor-presidente ao O Globo.

Segundo dados, a Anvisa atuou durante a pandemia com o menor número de servidores em 20 anos. Mesmo com a intensificação das demandas na agência, o quadro de pessoal continuou em queda.

Responsável pela análise e aprovação das vacinas contra a Covid-19, a agência reguladora trabalhou com cada vez menos servidores no seu quadro de pessoal. Entre 2017 e 2020, a força de trabalho reduziu em quase 12%.

Ou seja, 217 servidores a menos, que se aposentaram e não tiveram seus cargos repostos. No início de 2021, a Agência contava com 1.580 funcionários e um déficit de 94 profissionais na área técnica. Hoje, já são 107 cargos vagos.

O quadro é menor se comparado às agências e órgãos internacionais que contam com as mesmas atividades (ou semelhantes) da Anvisa. Exemplo disso é na americana FDA, que possui cerca de 18 mil funcionários.

Para repor o déficit, o novo concurso Anvisa precisa ser autorizado pelo Ministério da Economia.

Concurso Anvisa 2023 foi solicitado ao ME

Em abril deste ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária informou que iria solicitar um novo concurso Anvisa ao Ministério da Economia.

Em resposta à Folha Dirigida, a autarquia informou que o pedido seria feito no prazo definido em lei, ou seja, até maio.

“A Anvisa está em fase final de elaboração do processo que requererá novo concurso e encaminhará o pedido no prazo estipulado pelo Decreto n. 9.739, de 28 de março de 2019”, explicou a agência.

Ao todo, foram solicitadas 107 vagas, com a seguinte distribuição entre os cargos:

  • nível médio: técnico em regulação e vigilância sanitária (cinco vagas) e técnico administrativo (44); e
  • nível superior: especialista em regulação e vigilância sanitária (43) e analista administrativo (15).

A solicitação evidencia a redução no quadro de pessoal da agência, considerando que o pedido feito em 2020 foi para 75 vagas, 32 a menos do que o deste ano.

“Há necessidade de concurso já que as atuais vagas desocupadas somente podem ser providas por meio de seleção pública”, explicou a Anvisa.

Anvisa realizou concursos em 2016 e 2013

O último concurso da Anvisa foi realizado em 2016. Na época, foram oferecidas 78 vagas, na carreira de técnico administrativo, de nível médio.

Com a organização do Cebraspe, os candidatos foram avaliados por meio de provas objetiva e discursiva. A primeira etapa contou com 120 questões sobre as seguintes disciplinas:

  • Conhecimentos Básicos: Português, Noções de Informática, Raciocínio Lógico e Ética no Serviço Público;
  • Conhecimentos Específicos: Noções de Administração, Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo e Legislação Específica.

Antes disso, em 2013, a Anvisa selecionou servidores para todas as carreiras da autarquia, incluindo cargos dos níveis médio e superior. Ao todo, foram oferecidas 314 oportunidades.

As etapas de avaliação foram as mesmas de 2016, mas a prova objetiva teve 80 questões, para os cargos de nível médio, e 130, para os de nível superior. Confira abaixo as disciplinas cobradas em 2013:

  • nível médio: Português; Raciocínio Lógico; Direito Constitucional, Administrativo e Ética; Regulação e Administração Pública; Vigilância Sanitária e Saúde Pública; e Conhecimentos Específicos.
  • nível superior: Português; Inglês; Direito Constitucional e Administrativo; Políticas Públicas e Gestão Pública; Regulação; Vigilância Sanitária; e Conhecimentos Específicos.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.