25 de maio de 2024

Coronel Ulysses vai ao Parlamento Europeu denunciar violações de direitos e perseguições no Brasil

O deputado do Acre integra a delegação de parlamentares que embarca hoje para a Bélgica

O deputado Coronel Ulysses (União–AC) embarca nesta segunda-feira (8) com uma delegação de parlamentares brasileiros para Bruxelas (Bélgica), onde, no Parlamento Europeu, vão denunciar ao mundo as arbitrariedades que estão ocorrendo no Brasil: violações de direitos humanos, perseguição política por parte de autoridades com a utilização da máquina estatal, a ‘ditadura da toga’ perpetrada pelo Judiciário e o desrespeito à Constituição.

A morte do nacional Clériston Pereira da Cunha, a perseguição a jornalistas e a políticos conservadores e a prisão de 12 manifestantes do Acre são alguns dos assuntos incluídos na petição. Clériston morreu de mal súbito no dia 20 de novembro de 2023 no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília–DF, enquanto aguardava a conversão de sua prisão em domiciliar. Em setembro, a Procuradoria-Geral da República se manifestou a favor da soltura do réu para responder ao processo em liberdade face a uma série de problemas de saúde.

No caso dos presos do Acre – que estavam a mais de 2 mil quilômetros de Brasília, onde ocorreram as manifestações de 8 de janeiro de 2023 – os manifestantes ficaram presos durante 108 dias por ordem do ministro Alexandre de Moraes. No dia 27/04/2023, o Ministério Público Federal no Acre requereu à Justiça Federal o arquivamento do caso, “considerando a ausência de justa causa para oferecimento de ação penal”.

Dias após o pedido do MPF, a juíza da 2ª Vara Federal Cível e Criminal do Acre, Luiza Farias da Silva Mendonça, extinguiu o processo. Eram acusados de “atos terroristas, associação criminosa, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de estado, ameaça, perseguição e incitação ao crime. Ao final das investigações, nada restou provado contra eles.

Em março, Ulysses e um grupo de outros 75 parlamentares (deputados e senadores) protocolaram na Comissão Internacional de Direitos Humanos (CIDH), da Organização dos Estados Americanos), petição denunciando “violações de direitos humanos” por parte o ministro Alexandre de Moraes na condução dos inquéritos envolvendo acusados de participação nas manifestações de 8 de janeiro.

Vamos ao Parlamento Europeu denunciar a nova ditadura que surge no Brasil”, diz Ulysses

Agora, explica Ulysses, “vamos a Bruxelas, onde, no Parlamento Europeu, denunciaremos esse avanço totalitário que ocorre no Brasil”. Conforme o deputado, a viagem tem a finalidade de chamar a atenção do mundo para o que está acontecendo no País, tendo em vista que a imprensa faz vistas grossas para as atrocidades e aberrações praticadas com a chancela do aparelho estatal.

Face à situação, Ulysses afirma que uma das alternativas que restaram é chamar a atenção do mundo para a escalada autoritária instaurada na nação brasileira. “No âmbito interno, percebe-se que atualmente é inviável qualquer possibilidade de reação, pois as instituições estão aparelhadas e coniventes com esse estado de coisa”, avalia o deputado.

De acordo com Ulysses, o mundo precisa saber que está surgindo no Brasil em nova ditadura, “e, por isso, vamos até ao Parlamento Europeu denunciar os tiranos que, que com suas ações nefastas, estão deteriorando nossa democracia e suprimindo nossas liberdades, inclusive a livre expressão e manifestação do pensamento, assegurados na Constituição”.

Além de Ulysses, a delegação é composta ainda por deputados como Gustavo Gayer (PL/GO), Marcel van Hatten (Novo-RS), Bia Kics (PL/DF), Eduardo Bolsonaro (PL/SP), dentre outros, e jornalistas. As atividades da delegação em Bruxelas serão transmitidas pelo canal Fio Diário no YouTube: https://www.youtube.com/@fiodiario/featured

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost