Rio Branco, Acre,


Secretário diz que polícia pediu prisão de Clelda Maia e Operação Lares continua

Emylson Farias nega que provas contra indiciados no processo tenham sido destruídas

Secretário de Segurança Emylson Farias
Secretário de Segurança Emylson Farias

O secretário de Segurança Pública, Ermylson Farias, afirmou em entrevista à ContilNet na tarde desta sexta-feira (3) que a Operação Lares terá mais fases e que mais pessoas poderão ser indiciadas.

Indagado por que Cleuda Dantas, considerada uma das operadoras das fraudes, não foi presa, ele diz que foi uma decisão judicial e que a Polícia Civil chegou a pedir a prisão preventiva dela.

PUBLICIDADE

Ao ser questionado a respeito do ex-secretário Rustênio Costa não ter sido indiciado e nem preso durante as investigações, o secretário afirmou apenas que a investigação não foi concluída e que permanecerá em vigência.

“A ação uma vez instaurada tem um impulso natural. A Polícia Civil continua investigando”, garantiu.

A respeito de Cleuda Dantas, a equipe da ContilNet recebeu uma informação em off pela qual a fonte afirma que algumas partes do depoimento dela não teriam sido anexadas aos autos do processo e que, por esse motivo, o pedido de prisão não teria sido bem embasado.

“Negamos qualquer tipo de coisa assim, até porque, uma vez que o depoimento tenha sido concedido, se torna impossível descartá-lo. Tudo que fizemos tem sido acompanhado pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Estado”, declarou o secretário.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up