Agente penitenciário é condenado por integrar organização criminosa em Rio Branco


O agente foi condenado também a pagar as custas processuais

ASTORIGE CARNEIRO, DO CONTILNET

O agente penitenciário Marivaldo Vitor da Silva, preso em fevereiro ao tentar entrar no Presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro, em Rio Branco, com munição de uso restrito, foi condenado pela Justiça acreana.

As investigações apontaram que Marivaldo possuía envolvimento com uma facção criminosa, tendo sido encontradas cartas com pedidos de presos, que teriam tido os materiais solicitados entregues pelo agente, que integrava a turma de servidores do ano de 2012.

O agente foi absolvido da acusação de corrupção passiva, mas foi condenado por integrar organização criminosa. A pena imposta pelo o juiz da terceira vara criminal foi de 4 anos e 2 meses, com aumento de um 1/6 por ser funcionário público.

A sentença total ficou em 4 anos, 10 meses e 10 dias no regime semiaberto. Na mesma decisão, o magistrado concedeu ao réu o direito de recorrer da sentença em liberdade, já que não estão presentes os requisitos para a prisão preventiva, e determinou a retirada da tornozeleira eletrônica.

O agente foi condenado também a pagar as custas processuais.

Com informações do site EcoAcre

comentários

Outras Notícias

Veja Também