Rio Branco, Acre,


Delegado acusa prefeito Mazinho Serafim de pedir ao governador sua transferência

Agente da Polícia Civil investiga esquema envolvendo funcionário fantasma na Saúde de Sena

O delegado da Polícia Civil de Sena Madureira, Marcos Frank, acusa o prefeito Mazinho Serafim (MDB) de ter solicitado ao governador Gladson Cameli e ao secretário de Segurança Pública, coronel Paulo César do Santos, sua transferência para outra cidade.

“Confirmamos que havia algumas tratativas nesse sentido por parte do chefe do Executivo, mas não sabíamos que havia sido um pedido diretamente ao governador do Estado. Confirmamos a informação e realmente foi pedido”, disse o delegado.

PUBLICIDADE

A informação foi dada pelo próprio agente em entrevista nesta sexta-feira (19) ao portal YacoNews. Frank acredita que o pedido teria sido feito em retaliação às investigações que vem liderando na cidade sobre a existência de funcionário fantasma na Secretaria de Saúde do município cujo salário beneficiaria pelo menos duas pessoas próximas ao prefeito.

Frank afirmou que as investigações geraram “desconforto” no meio político da cidade, mas esclarece que não há indícios da participação de Mazinho no suposto esquema.

SAIBA MAIS: Delegado identifica repasses ilegais a duas pessoas ligadas a Mazinho Serafim

“Tenho mais de 20 anos de serviços prestados ao estado e nunca tive um procedimento administrativo que abonasse minha conduta. Isso chega a ser até um ataque à instituição. Não vou admitir nenhuma interferência política na delegacia de Polícia Civil”.

Delegado Marcos Frank / Foto: Arquivo

Marcos disse ainda que chegou a ser oferecido a ele um posto na Delegacia de Combate ao Narcotráfico (Denarc), na capital. “Não tenho intenção de sair. Preferimos ficar aqui. Somos funcionários efetivos por concurso público e não tenho cargo político. Mesmo assim, se for do entendimento do governador que seja feita a remoção, temos alguns direitos, como a garantia da inamovibilidade, salvo por relevante interesse público, o que não vem ao caso”.

Por fim, o agente comenta que acionou a Associação dos Delegados de Polícia Civil, que deve tomar medidas judiciais, e reitera a veracidade da denúncia. “Não se trata de uma fake news. Eu mesmo confirmei a informação sobre o pedido de transferência”, garantiu.

O prefeito Mazinho Serafim comentou, em sua rede social, que nunca pediu a transferência de ninguém e jamais solicitaria “algo tão absurdo” para o governador. Ele pediu provas acerca da acusação e disse que a Polícia Civil vem fazendo um bom trabalho na cidade. “Estou achando tudo isso muito estranho”, escreveu o gestor.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up