Rio Branco, Acre,


PSL diz que tentativa de Ulysses de disputar prefeitura visa interesses pessoais

Executiva municipal do partido tratou a investida do ex-comandante da PM como desrespeito

O tsunami causado pela bomba jogada pelo governador Gladson Cameli (Progressistas) no meio político do Acre, ao anunciar sua filiação ao PSDB, atingiu primeiramente o PSL, que, nesta sexta-feira (31), acordou com uma carta aberta escrita pelo coronel Ulysses Araújo (PSL).

No documento, o ex-comandante da Polícia Militar coloca seu nome à disposição para disputar a prefeitura de Rio Branco pela legenda, desobedecendo o acordo firmado com o PSDB para apoiar seu pré-candidato, Minoru Kinpara, com um possível vice pesselista. Para Ulysses, o novo cenário inspira insegurança do PSL.

PUBLICIDADE

SAIBA MAIS: Coronel Ulisses lança candidatura a prefeito de Rio Branco; como fica Minoru Kinpara?

No entanto, a resposta da Executiva Municipal pesselista veio logo em seguida e a mensagem foi dura. Assinada pelo presidente Antonio Marcos Silva Velasquez, a nota trata a investida de Ulysses como desrespeito aos membros do diretório e rechaça o que chama de interesses pessoais do coronel em detrimento do coletivo.

O vice-governador Major Rocha, hoje no PSL, também comentou, com exclusividade ao ContilNet, a atitude do colega de legenda. “Ulysses não pode lançar o nome dele sem consultar a executiva. O partido tem uma construção, trabalha um projeto futuro, mas esse projeto futuro não passa por uma candidatura em Rio Branco. Passa pelo fortalecimento do grupo que está hoje no PSL”.

Leia a íntegra da nota:

“Carta Aberta ao Povo Acreano

A Executiva Municipal do Partido Social Liberal (PSL), através de seu presidente, reitera a aliança política com o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Informa para a sociedade que a decisão que foi tomada de maneira democrática, ouvindo os membros da executiva municipal e abrindo espaço para votação individual constante em ata foi a de pleitear ao cargo vice-prefeito.

Diante disso, entedemos que qualquer manifestação isolada, além de desrespeito aos membros da executiva, reflete a busca para atender interesses pessoais em detrimento do coletivo e deve ser rechaçada dentro da sigla.

Assim, além de reiterar a aliança com o PSDB, deixamos claro que somente a Executiva Municipal de Rio Branco pode se manifestar oficialmente sobre candidaturas ou coligações visando o pleito da capital.

Rio Branco – Acre, 31 de julho de 2020

Antonio Marcos Silva Velasquez

Presidente da Executiva Municipal do PSL de Rio Branco”

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias