21 C
Rio Branco
8 maio, 2021 11:50 am

Após ser desprezado, Harry deve desistir de retornar ao Reino Unido

Para o especialista Russel Myers, Harry não estará presente na inauguração da estátua da mãe, a princesa Diana, em julho

POR METRÓPOLES

Com a morte do avô paterno, Philip, no último dia 9, o príncipe Harry adiantou o retorno ao Reino Unido para acompanhar a cerimônia fúnebre, ocorrida uma semana depois de o marido da rainha Elizabeth falecer.

A próxima volta do duque de Sussex para a Europa, supostamente, seria em 1º de julho. Na ocasião, ele participaria da inauguração de uma estátua em homenagem à sua mãe, a princesa Diana.

Entretanto, o especialista real Russell Myers acredita que não haverá mais viagem devido ao “tratamento gelado” dado ao marido de Meghan Markle durante o funeral.

Em entrevista ao programa talkRADIO, Myers afirmou que Harry pode desistir da viagem dedicada a homenagear a mãe, Lady Di, por ter ficado abismado com a indiferença com que foi recepcionado no enterro.

Na avaliação do especialista em realeza, o duque de Sussex pode dar uma “desculpa” e não comparecer ao tributo a ser realizado nos jardins do Palácio de Kensington. “Alguns membros da família deram-lhe uma recepção fria e talvez isso o tenha chocado um pouco”, disse o editor.

Na avaliação de Myers, o príncipe Harry usará o nascimento da segunda filha, previsto para junho, como justificativa “conivente” pela ausência na homenagem à mãe e como forma de não enfrentar os familiares.

Fruto do casamento com Meghan Markle, a menina deverá vir ao mundo semanas antes do lançamento da estátua em comemoração aos 60 anos da princesa Diana. Ela morreu em um acidente de carro em 1997.

Desprezo

Apresentador do programa talkRADIO, Kevin O’Sullivan comentou a respeito de Harry aparecer “muito abatido” ao longo do cortejo fúnebre do príncipe Philip, realizado no último dia 17.

“Li que algumas partes da família real literalmente o excluíram e nem mesmo falaram com ele”, destacou o jornalista.

De acordo com o Mail on Sunday, o duque de Sussex foi desprezado por três membros da realeza no enterro do avô. A princesa Anne e os condes de Wessex, Edward e Sophie-Rhys-Jones, esnobaram o sobrinho.

Segundo fontes próximas da Coroa britânica, o sentimento em relação a Harry é de frieza por causa da entrevista bombástica concedida por ele e a mulher, Meghan Markle, à apresentadora Oprah Winfrey, no início de março.

Quando a conversa polêmica foi ao ar, o príncipe Philip estava internado. Alguns especialistas reais defenderam que o bate-papo contribuiu para o estado de saúde do duque de Edimburgo, deixando-o “bastante abalado”.

Os duques de Sussex renunciaram aos cargos seniores na realeza no ano passado.

Viajar ou não?

“Com a recepção fria que teve da sua família, levanta-se a questão: ele [Harry] voltará para a inauguração do memorial de Diana com o seu irmão em julho? Ou vai sair disso?”, declarou O’Sulliavan no talkRADIO.

O expert em realeza Russell Myers respondeu: “Certamente, Kate e William vão recebê-lo se ele quiser voltar”.

Apesar das opiniões contrárias dos especialistas, os súditos esperam que o duque de Sussex possa retornar ao país de origem em julho e dar mais um passo rumo à reconciliação com os familiares.

No funeral de Philip, o vídeo de Harry conversando com o irmão, William, e a cunhada, Kate Middleton, “rodou” o mundo. Os dois príncipes estavam brigados desde o ano passado.

“Eu amo William demais. Ele é meu irmão. Nós passamos por um inferno juntos. Quer dizer, temos uma experiência compartilhada. Mas estamos em caminhos diferentes”, frisou Harry na entrevista dada à Oprah.

Informantes revelaram à imprensa britânica que o duque de Cambridge, William, ficou profundamente magoado com as alegações do irmão na conversa televisionada.

O duque de Sussex chegou a contar que um integrante da realeza havia feito um comentário racista antes do nascimento de seu filho, Archie, atualmente com 1 ano.