23 C
Rio Branco
6 maio, 2021 8:20 pm

Governo convoca coletiva para esta sexta e deve anunciar reabertura do comércio a partir de sábado

Segundo o convite destinado à imprensa, a coletiva que ocorre online vai divulgar o novo decreto estadual.

POR NANY DAMASCENO, DO CONTILNET

O Governo do Estado e o Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 convocaram uma coletiva de imprensa para 9 horas da manhã desta sexta-feira (23) onde devem anunciar a reabertura do comércio aos finais de semana, como adiantou o governador Gladson Cameli no início desta semana.

Segundo o convite destinado à imprensa, a coletiva que ocorre online vai divulgar o novo decreto estadual.

A decisão de reabrir o comércio aos finais de semana surgiu a partir de uma reunião do governador com os empresários locais. De acordo com Cameli, o cenário atual com diminuição de casos é favorável para a flexibilização.

O Acre se encontra até esta quinta-feira (22) em Bandeira Vermelha. O atual decreto permite a abertura do comércio em geral de segunda à sexta-feira e o toque de recolher entra em vigor às 22h e se estende até 5h. supermercados podem funcionar até as 22 horas durante a semana.

Eventos religiosos podem ocorrer de segunda à sexta até às 22h; bares, distribuidoras de bebidas e similares podem funcionar até às 20h. Restaurante se lanchonetes podem vender bebidas alcoólicas até às 20h e fechar às 22h; shopping pode funcionar  entre 12h e 20h. As academias podem funcionar das 5h às 22h;

Aos finais de semana apenas supermercados podem funcionar com horário definido de 7h às 18 e o toque de recolher é mais cedo, entrando em vigo às 19 horas até 5h do dia seguinte.

Com o novo decreto todo o comércio e postos de gasolina poderão abrir e as igrejas também.

Ministério Público é contra

Na quarta-feira (21), o promotor de saúde do Ministério Público do Acre (MP-AC), Gláucio Oshiro, declarou que o órgão é contra o relaxamento das medidas restritivas. Segundo ele, não foi identificada mudança na ocupação de leitos de UTI nos hospitais e há fila de espera para UTIs.

“Em relação à positividade, o que houve foi a diminuição no número de testes. Havendo uma diminuição no número de testes, consequentemente, há uma caída no número de confirmação absolutas, mas no tempo relativo isso se manteve estável com um pequeno descenso, que não dá conforto. É claro que a gente não está mais naquele cenário de ascensão, mas estamos no cenário de estabilização, mas se estabilizarmos lá em cima, qualquer medida sem maior reflexão, a tendência é subir novamente”, explicou.

Ainda de acordo com Oshiro, o ideal é que as medidas restritivas já impostas sejam mantidas por um tempo até uma estabilização mais segura. Na terça-feira (20), o MP se reuniu com o governador Gladson Cameli e fez a recomendação. “Então a nossa conversa com o governador foi para segurar um pouco mais a situação”, destacou.

Para o promotor, as medidas devem ser mantidas por pelo menos mais duas semanas. “Não ampliá-las, ou seja, não deixar mais rigorosas, mas também não afrouxar”.