28.3 C
Rio Branco
23 junho, 2021 1:05 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

MS soma mais 52 óbitos pela Covid e tem UTI com 110% de ocupação em 24 horas

Junho começa mal, sem vagas em UTIs e com mais óbitos

POR LÚCIO BORGES ORTEGA - CORRESPONDENTE MS

CAMPO GRANDE (MS) – O momento de Mato Grosso do Sul na Pandemia da Covid vem piorando, como noticiamos a pouco, sendo o Estado com maior alta em óbitos, apesar do número ser aparentemente pequeno ante outros lugares, mas com maior população. E o boletim epidemiológico publicado nesta terça-feira (1º), confirma mais casos entre 1.952 infectados pelo coronavirus e 52 mortes em MS, dos quais metade tinham menos de 60 anos.

O número de vidas perdidas subiu 100%, com relação a ontem, e continua no patamar de alta ascensão. Foram confirmadas até o momento total de 6.867 mortes. E podem haver mais morte por conta também do aumento ou já superlotação das UTIs (Unidade de Terapia Intensiva).

As UTIs estão com pacientes acima do permitido como nas macrorregiões de saúde de Campo Grande (107%), Dourados (110%) e Três Lagoas (101%) têm superlotação. Ou seja, há mais pacientes em hospitais do que a capacidade permitida. Apenas Corumbá registrou, em documento atualizado, ocupação de 96%. Vale ressaltar que esse índice tem sido flutuante e, inclusive, ontem foi superior a 100%.

Na prática, são 1.331 pessoas internadas em leitos clínicos ou de terapia intensiva, público ou privado, em maior índice em toda a pandemia. O recorde havia sido em 2 de abril, quando 1.316 pacientes estavam hospitalizados.

Lista de espera

Os pacientes que seguem em tratamento nas unidades hospitalares públicas são 571 em leitos clínicos, onde são tratados casos de menor gravidade e 437 em leitos de UTIs, local em que estão os mais graves.

Lista de espera para os que aguardam por um leito de tratamento de covid no Estado, vem ganhando força. Central de Regulação do Estado destaca 255 pessoas em lista de espera, conforme dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde).

Em MS, são 292,677 mil pessoas tiveram covid, das quais 6.867 foram mortas pela doença.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.