24.3 C
Rio Branco
2 setembro 2021 7:14 am

ContilNet tem acesso a áudios exclusivos da reação de Roberto Jefferson à prisão: “Viva o Brasil”

Antes de ser preso, líder do PTB deixou diretrizes para membros do alto escalão do partido

POR TON LINDOSO, DO CONTILNET

“Bom dia a todos! O que eu sei é que estamos vivendo uma total ruptura”. Foi assim que o advogado Roberto Jefferson, líder nacional do PDT, anunciou à lideranças do partido em todo o país que seria preso.

Em áudios enviados para a reportagem do ContilNet, Roberto afirma que soube da prisão momentos antes, pois os mandados da Polícia foram endereçados, em um primeiro momento, para a casa de sua ex-esposa. Contatado sobre a abordagem da polícia, o líder do PTB tratou de, imediatamente, deixar orientações aos membros da sigla.

“A Polícia Federal esteve, cedo, na casa da mãe dos meus filhos com ordem de prisão e busca e apreensão. Ela disse: ele não mora comigo há mais de 20 anos; é casado com a Ana Lúcia. Eles pediram o endereço e agora estão vindo me prender. O que eu quero pedir à vocês: respeitem a Graci [Graciela Nienov], que é a vice-presidente do PTB. Ela é o meu braço direito, vocês sabem disso”, declara em um dos áudios.

Roberto chega a declarar, em determinado momento, que Graciela, que assume interinamente a presidência nacional da sigla, tem sofrido represálias – o que reforça ainda mais que a líder precisa do apoio do grupo.

“Ela tem levado o partido, partindo da base à vice-presidência. Ela está me ajudando a construir o PTB. Ela vai assumir, agora, as funções de presidência e o que quero pedir é: respeitem a Graci. […] Ainda mais agora, que vem sendo atacada covardemente, com ameaças graves de morte”, dispara.

A prisão

Roberto ainda fala sobre a prisão. Ele não sabe por quanto tempo permanece preso – e opina sobre. “Não sei por quanto tempo essa prisão dura. Ela é a ruptura total da ordem constitucional. O Supremo [Tribunal Federal] está repetindo, no Brasil, o que tem sido feito na Argentina, na Venezuela. Mesmo caminho. É o mensalão chinês, comprando ministros da Suprema Corte”, afirma.

Ele fala, ainda, que resistirá. “Mas eu estou aqui para resistir. Não vão ser essas pessoas que irão me assustar. Daqui a pouco, eu estou fora. E a luta continua. Não esmoreçam! Estou sereno, estou sensato, mas a luta continua”.

Roberto trata a prisão como ‘recolhimento’. “Temos que proteger a Graciela. Vou me recolher um tempo – não sei por quanto tempo vou permanecer preso. Mas a ordem de prisão, daqui, a pouco, está sendo cumprida. Bom dia a todos. Viva o Brasil”.

Após o brado ao país, um brado de protesto: “Não podemos permitir tantas abritrariedades vindas do Supremo [Tribunal Federal]”.

Entenda

A Polícia Federal prendeu, nesta sexta-feira (13) o ex-deputado e presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. O mandado é de prisão preventiva, que não tem prazo estipulado para acabar.

A autorização da prisão partiu do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com o G1, o ministro também determinou:

– Bloqueio de conteúdos postados por Jefferson em rede sociais;

– Apreensão de armas e acesso a mídias de armazenamento.

A ordem foi dada dentro do chamado inquérito da milícia digital, que é uma continuidade do inquérito dos atos antidemocráticos.

Embaixador da China comemora: “Lindo dia”

O Embaixador da China no Brasil, Yang Wamming, comemorou a prisão do ex-deputado federal Roberto Jefferson, em sua conta do Twitter. Wamming postou uma sequência de emojis de aplauso seguido da legenda: “lindo dia para todos!!!”.

Em post do final de julho, Roberto Jefferson pediu a sua expulsão do Brasil. “Tem que ir embora, o presidente tem que mandá-lo embora. Ele está afrontando o presidente”.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.