27.8 C
Rio Branco
14 outubro 2021 12:22 am

Empresários do crime: sete são presos em operação da Polícia Civil em Cruzeiro do Sul

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

Última atualização em 06/10/2021 13:29

Homens de negócios e aparentemente insuspeitos que atuavam em Cruzeiro do Sul, município do interior do Acre, assim como eram respeitáveis beneméritos da sociedade local, foram presos na manhã desta quarta-feira (06) como empresários do crime. Sob o nome “Cortina de Fumaça”, a Polícia Civil deflagrou uma operação na qual foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão e dois de prisão, em vários bairros da cidade.

Entre os presos e investigados, a Polícia identificou pessoas diretamente relacionadas com o crime organizado, principalmente no cometimento de crime de lavagem de dinheiro, que aparentava serem cidadãos respeitáveis. De acordo com a policia, os investigados ostentavam riquezas em Cruzeiro do Sul e tinham fama de pessoas bem relacionadas e estruturadas através de empresas que escondiam movimentação financeira de uma organização criminosa que atua na região.

Um dos acusados, por exemplo, recentemente foi noticiado em mídias sociais como um dos empresários mais bem sucedidos em Cruzeiro do Sul na atualidade, com investimentos diversos, como loja de suplementos e casas noturnas.

Os mandados tiveram origem a partir de uma investigação que durou cerca de 120 dias e possibilitou que a Policia Civil colhesse elementos que foram acatados pelo Poder Judiciário para expedição das referidas ordens judiciais por meio da Vara de Organização Criminosa da Comarca de Rio Branco.

As ordens judiciais foram cumpridas em alvos com residências localizadas nos bairros Aeroporto Velho, São José, Centro, Remanso, São Francisco e em Guajará, município do Amazonas. Durante a ação policial foram presos D. M. do N. de 26 anos e F. da S. P. de 30 anos, além da apreensão de um veículo modelo Golf e uma motocicleta modelo Biz.

F. da S. P. de 30 anos foi preso em flagrante pela prática criminosa prevista no artigo 273 do Código Penal como crime hediondo. Falsificação, corrupção, adulteração ou alteração de produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais.

Os investigados foram conduzidos à Delegacia Geral de Cruzeiro do Sul para procedimento praxe e em seguida colocados à disposição da justiça. A investigação segue com objetivo de identificar mais pessoas envolvidas no esquema e responsabilizá-las.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.