22.3 C
Rio Branco
26 junho 2022 9:22 pm

Polícia Civil do Acre institui projeto “Bem me Quer”

POR ASCOM

Última atualização em 19/05/2022 15:45

Neste dia 18 de maio, dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes, a Polícia Civil publicou portaria que institui a padronização da estrutura do ambiente, recepção, acolhimento e atendimento às vítimas de violência no âmbito de Polícia Civil do Estado do Acre, nas Delegacias de Polícia do interior do estado, por meio da implementação do Projeto “Bem-me-Quer”.

Por meio da portaria publicada pelo delegado-geral de Polícia Civil do Acre, José Henrique Maciel, ficou estabelecida a normatização e padronização de sala de atendimento adequada em todas as unidades de polícia judiciária do interior do estado do Acre, bem como diretrizes a serem seguidas quando do atendimento à mulher, criança e adolescentes vítima.

O projeto Bem-Me-Quer, idealizado pela delegada de Polícia Civil Mariana Gomes, funciona atualmente em 4 cidades do interior do Acre: Sena Madureira, Manoel Urbano, Senador Guiomard e na cidade isolada de Santa Rosa do Purus e a tendência é ser estendido para todo o interior do estado, localidades que não dispõem de especializadas.

“A publicação da normatização do Bem-Me-Quer foi muito esperada por mim e demonstra um grande avanço e reforço do comprometimento da Policia Civil do Acre no combate a crimes tão sensíveis e infelizmente frequentes, especialmente no interior, do Estado. A polícia deve ter um olhar diferenciado para as vítimas e atender aos comandos legais protetivos. Diariamente são atendidas vítimas nas salinhas desde a implementação do projeto que recebem um acolhimento institucional diferenciado e faz toda a diferença na apuração das investigações”, pontuou a delegada Mariana Gomes.

A Polícia Civil está atenta, por mister constitucional, aos direitos inerentes ao ser humano e ao resguardo da proteção de vítimas crianças e adolescentes de violência, inclusive sexuais, bem como de violência doméstica e familiar contra a mulher, da necessidade um atendimento diferenciado no sentido de minimizar, ao máximo, os danos e traumas já sofridos pela prática, por si só, que a infração penal já causa.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Receba nossas notícias em seu email

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Junte-se a 6.087 outros assinantes

Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.