22.3 C
Rio Branco
11 agosto 2022 8:47 pm

Bolsonaro vai ao “Jornal Nacional” em 22 de agosto, diz Flávio

Senador diz que entrevista será realizada diretamente do Palácio do Alvorada; emissora nega

POR PODER 360

Última atualização em 05/08/2022 08:21

O senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) afirmou nesta 5ª feira (4.ago.2022) que o presidente Jair Bolsonaro (PL) comparecerá ao Jornal Nacional, da emissora de TV Rede Globo, em 22 de agosto.

Em sua conta oficial do Twitter, Flávio diz que Bolsonaro fará a entrevista diretamente do Palácio da Alvorada. A data foi definida pelo telejornal em sorteio. No entanto, apesar da declaração do senador, a Rede Globo afirma ter rejeitado o pedido para que a entrevista fosse realizada na residência do presidente.

Segundo a Rede Globo, depois das eleições de 2014, a emissora tomou a decisão de que todas as entrevistas em anos eleitorais fossem feitas em seus estúdios, para “demonstrar que todos os candidatos são tratados em igualdade de condições”. A emissora ainda destacou que o prazo para aceitar as entrevistas se encerra “impreterivelmente” hoje.

Ao Poder360, a equipe de campanha do PL (Partido Liberal) afirmou que ser entrevistado pelo Jornal Nacional era de fato uma vontade do presidente e que uma negociação estava sendo feita pelo ex-secretário de Comunicação da Presidência Fábio Wajngarten, que agora integra o time de marketing da campanha de Bolsonaro para as eleições de 2022.

O tempo de duração para as conversas com candidatos à Presidência da República será de 40 minutos. Os âncoras William Bonner e Renata Vasconcellos vão conduzir as entrevistas individuais.

Depois de Bolsonaro, os sorteados para dar entrevista foram André Janones (Avante), Ciro Gomes (PDT), Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Simone Tebet (MDB), respectivamente nas datas 23, 24, 25 e 26 de agosto. No entanto, Janones anunciou nesta 5ª feira (4.ago) que iria retirar sua pré-candidatura ao Palácio do Planalto e que apoiará o ex-presidente Lula.

Nas eleições de 2018, Bolsonaro participou da sabatina do Jornal Nacional, em 28 de agosto. À época, o candidato à Presidência pelo PSL mobilizou 1,36 milhão de publicações no Twitter.

Um dos principais temas mencionados pelos usuários foi a afirmação feita por Bolsonaro de que havia diferença nos salários de Bonner e Renata, apresentadores do telejornal.

“Com toda certeza há uma diferença salarial aqui. Parece que é muito maior para ele do que para a senhora”, afirmou Bolsonaro. A jornalista respondeu dizendo que nunca aceitaria receber um salário menor por função semelhante –no expediente do Jornal Nacional, Bonner aparece como editor-chefe e apresentador, e Vasconcellos, editora-executiva e apresentadora.

Apesar de ainda não ter confirmado presença no debates entre pré-candidatos à Presidência, em 29 de setembro –3 dias antes do 1º turno–, Bolsonaro já afirmou que, se Lula aceitasse participar, ele também iria comparecer.

“Eu fecho agora, se o Lula for, eu vou junto com ele”, disse o chefe do Executivo a apoiadores em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Eis a íntegra da nota divulgada pela emissora Globo em 4.ago.2022:

“Em decisão tomada em 2014, logo após as eleições, a Globo definiu que todas as entrevistas em anos eleitorais seriam feitas em seus estúdios. A medida buscou demonstrar que todos os candidatos são tratados em igualdade de condições. Em abril desse ano, o calendário de todas as entrevistas foi informado aos partidos. A decisão de realizar as entrevistas nos estúdios da Globo já valeu para as entrevistas do g1 e da GloboNews, sem contestação. Ontem e hoje, o PL solicitou que as entrevistas com o presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição, fossem feitas no Palácio da Alvorada. A Globo rejeitou o pedido em face dos motivos aqui expostos. Novamente para garantir igualdade de condições, o prazo para que os candidatos aceitem as entrevistas se encerra impreterivelmente hoje”.

É PERMITIDA SUA REPRODUÇÃO PARCIAL COM O SITE CONTILNETNOTICIAS.COM.BR SENDO LINKADO E CITADO.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.