21 de junho de 2024

Confusão no Into: Sesacre diz que não houve negligência em atendimento à criança

"Até o momento, todos os esforços profissionais necessários estão sendo empregados para o fechamento do diagnóstico da criança", diz a pasta

Após confusão registrada nesta segunda-feira (14) entre a mãe de uma criança que busca diagnóstico da filha e uma médica do Hospital da Criança – situado nas dependências do Into -, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre) se manifestou sobre o caso, em nota pública divulgada nesta terça-feira (14).

SAIBA MAIS: Confusão entre médica e mãe de criança termina em agressão dentro do Into; Sesacre investiga

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram uma parte do episódio que resultou em agressões. Em uma das imagens, mostra a mãe da paciente, com um braço arranhado, acusando a médica de tê-la agredido com a criança ainda nos seus braços, no entanto, testemunhas afirmam que as agressões partiram da mãe contra a médica – de acordo com a assessoria de comunicação da Sesacre.

O caso aconteceu nas dependências do Into Acre. Foto: Reprodução

“Todas as providências administrativas estão sendo tomadas para a apuração dos fatos, uma vez que o Estado se pauta pela transparência, eficiência e bom atendimento dispensado por seus servidores e não irá permitir qualquer inconformidade nas unidades de saúde”, diz a pasta.

A Sesacre nega que, por parte da equipe médica, tenha ocorrido qualquer tipo de negligência no atendimento à criança.

“No caso específico, ressalte-se que inexistiu, por parte da equipe de saúde, falta ou negligência de atendimento à paciente. Pelo contrário, a criança tem sido acompanhada há vários meses no Sistema Público de Saúde e vem realizando consultas e exames rotineiramente”, continua.

A situação aconteceu após a mulher retornar com a filha dois dias depois da menina levar alta da unidade. A menina, chorando muito e, segundo a mãe, com dores intensas, retornou ao hospital em busca de ajuda.

A mãe e a criança buscam diagnóstico da menina há alguns meses. Nas redes sociais, a genitora já informou a realização de uma vakinha para ajudar a custear a ida para São Paulo, para tentar encontrar um diagnóstico para a filha. Além disso, a menina já passou por diversas internações.

Segundo a Sesacre, durante atendimento oferecido nesta segunda, a médica recomendou um remédio em gotas para acalmar as dores da criança que chorava muito, mas a mãe não aceitou a recomendação e, nesse momento, teria iniciado a confusão entre as duas mulheres dentro da unidade de saúde.

O fato é que, após a repercussão do caso, o Ministério Público do Acre (MPAC) e a Defensoria Pública do Estado também entraram nas investigações.

“Até o momento, todos os esforços profissionais necessários estão sendo empregados para o fechamento do diagnóstico da criança, e para isso estão sendo realizados diversos exames, pelas equipes da Fundhacre, Into e Policlínica do Tucumã. Todos os documentos referentes já se encontram à disposição do Ministério Público do Estado, bem como da Defensoria Pública, que estão atuando em conjunto com a Sesacre para solucionar o caso o mais brevemente possível”, finaliza.

PUBLICIDADE
logo-contil-1.png

Anuncie (Publicidade)

© 2023 ContilNet Notícias – Todos os direitos reservados. Desenvolvido e hospedado por TupaHost