Rede afirma que Marina Silva não é “segunda via” do PT e que não compactuam com corruptos

Segundo o porta-voz da Rede, Júlio Souza, o partido não irá se misturar com políticos corruptos

Em nota enviada à coluna O Lamparina, o partido da Rede Sustentabilidade refutou uma publicação divulgada nesta terça-feira (9), na qual simpatizantes da sigla alegam que a pré-candidata a presidente da República, Marina Silva, seja uma “segunda via” do Partido dos Trabalhadores (PT), em caso do ex-presidente Lula ser condenado em 2° instância no próximo dia 24 e se tornar inelegível.

Segundo o porta-voz da Rede, Júlio Souza, o partido não irá se misturar com políticos corruptos (referindo-se ao ex-presidente Lula) e reforçou dizendo que a Rede Sustentabilidade foi o primeiro partido a votar contra a ex-presidente Dilma e a pedir pela prisão de vários políticos envolvidos em crimes semelhantes.

Lula e Marina/Foto: reprodução

Confira a nota da Rede:

A Rede Sustentabilidade e Marina Silva não são linhas auxiliares de partido A ou B, ambos têm trajetórias e razão de existência para contribuírem com um Acre e um Brasil melhor. A Rede, segundo levantamento feito pela FGV, foi o partido que mais combateu a corrupção e os corruptos independente do partido que pertenciam. Fez oposição ao governo Dilma no congresso nacional, faz oposição ao governo Temer e foi o partido que pediu a cassação do Delcídio, Cunha, Aécio e ainda o afastamento de Renan da presidência do Senado.

Essa narrativa que desonestamente alguns tentam construir é infundada e não condiz com a realidade dos fatos. Num momento de descrédito é lamentável que tentem nos levar para mesma vala vil e comum na qual o PT e outros partidos satélites encontram-se, nossas posições a nível nacional e no Acre atestam nossa independência. Localmente já representamos contra o governador e alguns dos seus secretários, nos colocamos dentro do debate sério, honesto e propositivo para contribuir com Acre e seu povo, sempre com base nas premissas inegociáveis de melhoria coletiva e transformação social.

No mais, reiteramos que nossa caminhada, que vem incomodando os que não tem legitimidade moral e ética, seguirá sempre fazendo o bom combate, sem relativizar justiça, ética e valores. Não somos linha auxiliar de partido A ou B, talvez seja essa a razão de tanta mentira sobre nossa recente e digna caminhada.

A Rede segue construindo um caminho para o Acre e o Brasil, um caminho diferente dos partidos que se estruturaram historicamente alimentados pelo dinheiro sujo da corrupção, sem realizar ataques à honra das pessoas ou desconstrução de biografias limpas.

comentários

Veja também