Rio Branco, Acre,


“Fake news” denunciada por Marcus Alexandre já foi usada pelo PT contra Serra

Em 2010, o tucano foi alvo de ataques cibernéticos; em 2006 petistas foram presos tentando comprar dossiê falso contra adversários

  1. NO DOS OUTROS É REFRESCO 

A notícia segundo a qual o prefeito de Rio Branco e pré-candidato ao governo estadual pelo PT, Marcus Alexandre, foi a Brasília denunciar os ataques sofridos nas redes sociais – os chamados ‘fake news’ –, é tão pertinente quanto cômica.

CONTRAFEITO

Na última quarta-feira (14), o petista bateu às portas do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, onde ingressou com uma queixa contra o que classifica de falsas notícias a seu respeito.

FALSO OU VERDADEIRO?

O petista atribuiu a veiculação de conteúdos inverídicos e ofensivos a sites do Acre, usuários das redes sociais e membros de grupos do WhatsApp. Sua principal reclamação foi a informação de que estaria na iminência de ser preso em uma operação da Polícia Federal.

CONTRAPONTO

Marcus Alexandre repudiou ainda a publica por aventar a possibilidade de que poderia desistir de sua pré-candidatura ao governo.

SOLIDARIEDADE

Longe de se configurar inoportuna, a reclamação do prefeito é congruente. E esta coluna a ele se solidariza por ter se tornado alvo das ofensas de que se diz vítima.

A OUTRA FACE

Ocorre, porém, que o Sr. Marcus Alexandre pertence a um partido cujas práticas, nem sempre republicanas, já incluíram a mesma artimanha de recorrer às mentiras e calúnias para enxovalhar a honra de adversários políticos.

OBSCENOS

Nas eleições presidenciais de 2010, a coordenação de campanha da então candidata Dilma Rousseff se encarregou de contratar a empresa Ahead Marketing, de Gabriel Cecílio Arantes, para fustigar o tucano José Serra.

REPORTAGEM

Sob a falsa justificativa de desmascarar notícias falsas contra a candidata petista, a contratada criou o blog “Seja Dita Verdade”, que em pouco tempo passou a disseminar mentiras contra o adversário. Para ampliar o alcance dos ataques a Serra foram criados ao menos 131 perfis falsos no Twitter, segundo reportagem da BBC Brasil.

LINHA CRUZADA

A BBC apurou que na prestação de contas da campanha de 2010 de Dilma e do PT não há registros de pagamentos à Ahead Marketing. No entanto, a prestação de contas da campanha ao Senado do hoje governador mineiro Fernando Pimentel (PT) revela pagamento de R$ 234 mil a “G. Cecílio e Cia Ltda”, de Gabriel Cecílio Arantes.

DOSSIÊ FALSO

A campanha difamatória do PT não se resume a isso. Quatro anos antes, o Brasil assistiu estarrecido ao chamado Escândalo do Dossiê (também conhecido por Escândalo dos Aloprados). O episódio foi protagonizado por petistas que atuavam na campanha de Aloizio Mercadante para o governo de São Paulo. O adversário a ser batido também era o tucano José Serra.

PRISÕES

Representantes do comitê de Mercadante se encarregaram de comprar documentos que supostamente comprometiam o candidato do PSDB. A Polícia Federal prendeu em flagrante, em um hotel de São Paulo, os petistas encarregados da transação. Foram encontrados com eles 1,1 milhão de reais e 249 mil dólares em dinheiro vivo.

EXPLICAÇÃO NECESSÁRIA

Esta narrativa, cuja extensão decorre da necessidade de rememorar os fatos, não pretende, claro, responsabilizar Marcus Alexandre pelos crimes do seu partido – e menos ainda para endossar os ataques que lhe são feitos. O propósito aqui é lembrar que de vítima o PT não tem absolutamente nada.

NA PRÓPRIA CARNE

A propósito, eu, que sou usuário do Facebook, onde costumo expor minhas convicções políticas, me vi, por incontáveis vezes, atacado, xingado e caluniado por pessoas beneficiadas pela prodigalidade dos governos petistas. Muitos dos meus detratores, aliás, eram fakes.

THE END

A novela que tinha como enredo a escolha do vice na chapa do senador Gladson Cameli, pré-candidato ao governo pelo Progressista, chegou ao fim sem agradar a todos os atores da trama. Rocha, como sabemos, foi o escolhido.

AUSÊNCIAS

Partidos como o PTB, PPS, Solidariedade, PR, PSC, PTC e PMN não enviaram representantes ao evento de homologação do nome do tucano. E o MDB se prepara para repensar sua participação na aliança.

UM TOQUE DE HUMOR

Presente ao encontro, o sempre bem-humorado senador Sérgio Petecão (PSD) minimizou as ausências. Ao seu modo, assegurou que em breve estarão todos unidos no propósito de derrotar o candidato do PT.

DESPEDIDA

Nos grupos de WhatsApp circulou, logo depois da apresentação oficial do deputado Rocha, um áudio do pré-candidato ao Senado pelo MDB, Marcio Bittar, no qual ele diz com todas as letras não haver mais possibilidade de que a sigla permaneça no bloco.

ASSEMBLEIA

O vice-presidente do MDB local, João Correia, afirmou à coluna que haverá uma ampla reunião para debater o que fazer ante a decisão. Parlamentares, prefeitos e dirigentes do partido da capital e do interior foram convocados para a assembleia emedebista.

FORA DE COGITAÇÃO

Correia disse ainda que nada está definido quanto ao rumo que os emedebistas haverão de tomar. A única hipótese inadmissível, acrescentou, seria o MDB se juntar à Frente Popular.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias